Seleção brasileira: Casagrande vê manifesto de jogadores como ‘covardia’ e cobra ‘atitude de homem’ dos atletas

Casagrande ainda afirmou que a acusação de assédio sexual e moral contra Rogério Caboclo, presidente agastado da CBF, é só a ‘ponta do iceberg’

Danielle Barbosa
Colaboradora do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução/TV Globo

O ex-jogador Casagrande criticou a postura dos jogadores da seleção brasileira de futebol e apontou como “covardia” o manifesto que está sendo preparado pelos atletas para ser divulgado após o jogo contra o Paraguai, nesta terça-feira (8), pela rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022. Os jogadores confirmaram na manhã desta segunda que vão participar da disputa da Copa América no país, mesmo diante da crise interna que a CBF vive na atualidade, incluindo a acusação de assédio sexual e moral contra o presidente afastado da entidade, Rogério Caboclo.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

“Manifesto? Esquece, gente. Ou joga ou não joga. Esquece esse negócio de ‘vamos jogar, mas somos contra isso’. Toma uma atitude de verdade, de homem. Covardia isso que os jogadores vão fazer, é uma covardia. O Brasil estava precisando de uma atitude de homem e de peso da seleção brasileira. O Brasil está numa crise sanitária enorme, e não é por causa do [Rogério] Caboclo que não queremos a Copa América aqui. Ele é outro problema”, começou Casagrande.

O comentarista da TV Globo ainda comentou a situação do técnico Tite, alvo de críticas de políticos como o presidente da República, Jair Bolsonaro, que teria pedido a demissão do treinador para a contratação de Renato Gaúcho.

“Acho uma covardia o que estão fazendo com o Tite. Hoje o Flávio Bolsonaro gravou um vídeo acusando o Tite, jogando ele no meio da arena com os lesões. Injustiça. O Tite é o treinador da seleção brasileira, foi unânime lá atrás. Está em 1° nas Eliminatórias. Qual o motivo de fazer isso com o Tite? É covardia”, disparou Casão, que também comentou os casos extra-campo envolvendo Caboclo e Neymar.

“Sobre o Caboclo: está pipocando muita coisa no futebol brasileiro, né? Tem essa situação do Neymar, que a gente não sabe… tem o Robinho condenado na Itália e agora o Caboclo sendo acusado. É muita coisa de assédio e de machismo dentro do futebol brasileiro. E isso é só a ponta do iceberg”, completou.

LEIA MAIS:
Ulisses Costa diz que jogadores “precisam ser alguém” no futebol antes de rejeitarem a Seleção
Tite evita falar sobre Copa América no Brasil antes de jogos das Eliminatórias: “Temos uma posição, mas não vamos externá-la agora”

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes