Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Bolsonaro “ignora” derrota do Brasil e aprova realização da Copa América em meio à pandemia: “Número de óbitos caiu”

Presidente deu aval para realização da competição em território nacional

Bruno Romão
24 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: bruno.romao.nascimento@gmail.com

Crédito: Wagner Meier/Getty Images

Após o fim da Copa América, Jair Bolsonaro avaliou a realização do torneio no Brasil. Recordando que foi alvo de críticas quando acatou o pedido da Conmebol para organização da disputa de seleções dentro do país, o presidente citou os números da pandemia para defender sua escolha. Apesar disso, ele evitou comentar sobre o resultado da final, em que a Argentina venceu no Maracanã por 1 a 0.

“Quando decidi que a Copa América ia ser no Brasil, lembram o que o Renan (Calheiros) falou? ‘A Copa das mortes’. Passaram-se 30 dias, o número de óbitos caiu bastante, de infecções também. As narrativas deles não se sustentam”, declarou em conversa com apoiadores na saída do Palácio do Alvorada.

Antes da decisão, Bolsonaro projetou a final. Em reunião do Mercosul, o chefe de Estado falou sobre a rivalidade entre Brasil e Argentina, acreditando que a equipe de Tite iria golear a Albiceleste.

“A única rivalidade entre nós ocorrerá no próximo sábado, no Maracanã. E vou adiantar o resultado: 5 a 0 para o Brasil”, disse.

VITÓRIA DO PALMEIRAS

Além disso, Bolsonaro falou sobre a vitória do Palmeiras sobre o Santos. Sem cravar que o time de Abel Ferreira será campeão do Campeonato Brasileiro, ele mencionou o fato do Peixe ter ficado perto de empatar o clássico.

“Porcão tá na frente. Quase que entregou para o Santos… Dois pênaltis, tem que tirar aquele juiz de campo (risos). Dois pênaltis, mas foram bem marcados“, completou.

LEIA MAIS

Casagrande diz que Neymar é “súdito” de Bolsonaro e ironiza: “Mr. Patriota”

Messi repreende companheiro que ia zombar do Brasil na comemoração do título da Copa América