Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Olimpíadas 2020: Milena sai sem medalha no taekwondo, mas comemora “experiência”

Brasileira venceu duas lutas, perdeu duas e promete voltar em Paris-2024

Fernando Cesarotti
Jornalista, professor universitário e fã ardoroso de qualquer esporte. Autor do OlimpCast, podcast sobre esportes olímpicos.

Crédito: Milena Titoneli durante a vitória contra Lauren Lee - Foto: Maja Hitij/Getty Images

A brasileira Milena Titoneli saiu satisfeita com sua participação na categoria até 67 kg do taekwondo nas Olimpíadas de Tóquio, apesar de ter perdido a medalha de bronze para a marfinense Ruth Gbagbi. “É a maior experiência que eu tive na minha vida”, declarou ao SporTV logo após o combate.

Em Tóquio, Milena venceu a primeira luta, contra a jordaniana Julyana Al-Sadeq, mas foi derrotada nas quartas de final pela croata Matea Jelic. Com a classificação desta para a final, teve a chance de lutar na repescagem pelo bronze. Venceu a haitiana Lauren Lee, mas acabou derrotada pela lutadora da Costa do Marfim, que já havia sido medalha de bronze no Rio-2016.

“Superei muita coisa para estar aqui, e por isso é uma conquista muito grande para mim chegar aqui e lutar de igual para igual com as melhores do mundo. Vou continuar trabalhando para chegar em 2024 na minha melhor forma”, disse Milena, de 22 anos.

O Brasil já tem uma medalha no taekwondo na história dos Jogos Olímpicos. Curiosamente, na mesma categoria até 67 kg em que Milena competiu esta segunda-feira. Foi em Pequim-2008, com Natália Falavigna, que ganhou o bronze e hoje é dirigente da Confederação Brasileira de Taekwondo.

 

LEIA MAIS:

Confira o quadro geral de medalhas da Olimpíada de Tóquio-2020

Fadinha do Skate se torna a medalhista olímpica mais nova da história brasileira; saiba quem é Rayssa Leal