Rogério Ceni e Luxemburgo foram procurados por time da Série B após queda de treinador

Ceni foi desligado do Flamengo no início do mês, enquanto Luxemburgo caiu no Palmeiras no segundo semestre de 2020

Cido Vieira
Jornalista formado e apaixonado por futebol desde criança. No Torcedores.com desde o ano de 2017, já acumulei diversas funções no site e atualmente me dedico a cobertura do futebol nordestino. No Twitter (@cidovieira90)

Crédito: (Photo by Buda Mendes/Getty Images)

Disponíveis no mercado da bola, os treinadores e velhos conhecidos do futebol brasileiro Rogério Ceni e Vanderlei Luxemburgo estiveram na mira do Goiás. Na disputa da Série B do Brasileirão, o time Esmeraldino sondou a dupla após demitir o experiente Pintado por conta da irregularidade apresentada no início do certame. Apesar das tratativas, Marcelo Cabo, que foi demitido do Vasco, foi o nome escolhido pela diretoria do Verdão para assumir o comando técnico.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Em entrevista à Rádio Bandeirantes 820 AM, o vice-presidente do Conselho Deliberativo do Goiás, Edminho Pinheiro, trouxe detalhes sobre as negociações, revelando ter procurado Ceni e Luxemburgo, – seu amigo pessoal. Além da dupla, outro nome que cogitado foi Dorival Júnior, mas o treinador passa por problemas particulares, o que inviabilizou possíveis nogociações.

– Liguei para o Luxemburgo, que é meu amigo particular. O Marcelo Cabo ainda era treinador do Vasco. O Luxemburgo me disse que estava com seu projeto (particular). Tentei usar da minha amizade com ele, conversamos uma hora e meia. Ele me explicou, ainda estava decepcionado com sua saída do Palmeiras. Pedi ele para pensar e ficar uns quatro meses em Goiânia. Ele disse que iria me ligar. No mesmo dia, mandei uma mensagem para o Ceni. Sabendo que era apenas para cumprir uma situação. Ouvir e saber que era quase impossível eu já sabia, mas não custa nada tentar – disse o dirigente, que completou:

“Dormi e quando acordei de madrugada vi que o Rogério Ceni tinha me respondido. Ele falou que assim que desse me ligava. O presidente Paulo Rogério Pinheiro também tem uma amizade muito forte com o Dorival Júnior e disse que ligaria para ele só depois que oficializássemos a saída do Pintado. Fiquei aguardando a ligação do Luxemburgo e do Ceni, o que não aconteceu” (Edminho Pinheiro, dirigente do Goiás).

Segundo Edminho, Dorival Júnior passa por um problema particular e, por isso, não pôde aceitar o convite do Esmeraldino e nem de outra equipe. Ele ainda afirmou que o empresário do técnico Lisca, Jorge Machado, entrou em contato com a diretoria esmeraldina, mas depois não atendeu mais as ligações – Lisca foi anunciado pelo Vasco.

LEIA MAIS: