Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Superliga Europeia: Justiça revoga punições da UEFA contra Barcelona, Juventus e Real Madrid

Clubes fundadores da competição celebraram o fim das sanções impostas pela UEFA

Flavio Souza
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução

A Superliga Europeia acabou gerando muita repercussão no futebol europeu, principalmente entre os clubes fundadores. Barcelona, Juventus e Real Madrid sofreram punições e ameaças por parte da UEFA. Mas nesta sexta-feira (30), os três clubes celebraram decisão judicial que obriga a entidade que administra o futebol europeu a anular todas as medidas impostas aos clubes que participaram da fundação da competição.

Confira a nota oficial publicada pelos fundadores da Superliga

“O FC Barcelona, ​​a Juventus e o Real Madrid CF recebem com boas-vindas a decisão do Tribunal desta sexta-feira que impõe, com efeito imediato, a obrigação da UEFA em anular as medidas tomadas contra todos os clubes fundadores da Super Liga Europeia, incluindo o encerramento do processo disciplinar contra os três clubes signatários e a remoção das penalidades e restrições impostas aos nove clubes fundadores restantes para evitarem as medidas disciplinares da UEFA.

O Tribunal apoia o pedido feito pelos promotores da Super Liga Europeia, rejeita o recurso da UEFA e confirma o aviso à UEFA de que o não cumprimento da sua decisão resultará em multas e em potencial responsabilidade criminal. O caso será avaliado pelo Tribunal de Justiça Europeu de Luxemburgo, que analisará a posição monopolística da UEFA sobre o futebol europeu.

Temos o dever de abordar as questões muito graves que o futebol enfrenta: a UEFA estabeleceu-se como a única reguladora, operadora exclusiva e proprietária única dos direitos das competições europeias de futebol. Essa posição monopolística, em conflito de interesses, está prejudicando o futebol e seu equilíbrio competitivo. Conforme demonstrado por ampla evidência, os controles financeiros são inadequados e têm sido aplicados de forma inadequada. Os clubes participantes em competições europeias têm o direito de governar suas próprias competições.

Estamos satisfeitos por não estarmos mais sujeitos às constantes ameaças da UEFA. O nosso objetivo é continuar a desenvolver o projeto da Superliga de forma construtiva e cooperativa, contando sempre com todos do futebol: torcedores, jogadores, treinadores, clubes, ligas e associações nacionais e internacionais. Estamos cientes de que há elementos de nossa proposta que devem ser revistos e, claro, podem ser aprimorados por meio do diálogo e do consenso. Continuamos confiantes no sucesso de um projeto que estará sempre em conformidade com as leis da União Europeia.”

Mais informações da Superliga

Vale citar que apenas os três clubes citados na matéria ainda não abandonaram a ideia da competição. Mas a Corte da Espanha tinha anulado no começo de julho uma punição aos demais formadores. Atlético de Madrid, Arsenal, Chelsea, Inter de Milão, Liverpool, Manchester City, Manchester United, Milan e Tottenham tinham assinado um acordo para abrir mão de 5% das receitas de jogos por uma temporada.

Conforme cita o último parágrafo da nota conjunta, o projeto da competição europeia ainda segue em discussão. A grande questão será como Barcelona, Juventus e Real Madrid irão negociar com outros clubes. É importante ressaltar que a Superliga foi alvo de críticas pelo seu formato. Clubes, atletas, ex-jogadores e torcedores até mesmo dos clubes envolvidos fizeram vários protestos na época.

O fato é que em breve deveremos ter mais novidades sobre esse assunto. Mas talvez dessa vez seja algo mais alinhado com a UEFA.

LEIA MAIS:

Mercado da bola: Carvajal renova com o Real Madrid até 2025

Mercado da bola: Como o Santos pode lucrar na negociação de Kaio Jorge com a Juventus?

Mercado da bola: Messi completa um mês sem contrato e futuro no Barcelona é incerto