Home Futebol MP entra em recurso para revalidar anulação de eleição na CBF

MP entra em recurso para revalidar anulação de eleição na CBF

Órgão alega que mudança em eleição da entidade é ilegal; intervenção em CBF chegou a acontecer, mas foi revogada

Victor Martins
De Santo André-SP, formado em Jornalismo pela Unversidade Metodista de São Paulo (classe de 2010-13), trabalhando no Torcedores desde janeiro de 2016 (ou algo neste sentido). Iniciado na profissão desde meados de 2006, ao fazer a cobertura da Copa do Mundo da Alemanha para o site Abolanet. cobrindo jogos e os destaques de algumas seleções durante o evento, e posteriormente trabalhando neste até cerca de 2007. Entre os anos de 2008 e 2015, trabalhei para uma agência de notícias que produziu conteúdo para diversas páginas. Destas, principalmente a da Federação Paulista de Futebol, fazendo serviços de placar ao vivo das mais diversas competições (nacionais e internacionais) e serviços de pós-jogo focados nos clubes de São Paulo Desde 2016 venho trabalhando no Torcedores, onde venho desempenhando uma série de funções dentro do site, como setorista de clubes do futebol brasileiro e de outros esportes (MMA), além de trabalhar em várias partes do organograma da página. Atualmente, exerço trabalho na cobertura de futebol nacional e internacional, com a criação de matérias sobre clubes e jogadores, além de produção de guias de TV (onde assistir aos jogos) das partidas dos mais variados torneios no Brasil e no mundo
Rogério Caboclo

Lucas Figueiredo/CBF

PUBLICIDADE

A crise de comando na CBF chega a mais um capítulo nesta terça-feira (11). De acordo com o Uol Esporte, o Ministério Público (MP) entrou com recurso na Justiça para poder revalidar a decisão que anulava o pleito que indiciou Rogério Caboclo para a presidência e decretava intervenção na entidade.

O pedido de anulação das eleições e da intervenção, que tinha como membros Reinaldo Carneiro Bastos (presidente da Federação Paulista de Futebol) e Rodolfo Landim (presidente do Flamengo) havia sido originalmente acatado na primeira instância, mas o desembargador Luiz Umpierre de Mello Serra decretou a revogação do pedido por considerar que Landim não poderia ser indicado para tal cargo por já ser presidente de clube e que a entidade não fora ouvida sobre o caso.

O MP se baseia numa ação movida desde 2017 que contesta alterações nas regras eleitorais da CBF. Nas mudanças, ficou decretado que os clubes e as federações estaduais passariam a eleger o presidente da confederação. Mas na reunião em que isto foi decidido, as entidades estaduais teriam peso nas eleições que os clubes das Séries A e B, que não estiveram presentes quando a alteração foi formalizada.

PUBLICIDADE

[DUGOUT dugout_id=”eyJrZXkiOiI5RVBRVG5RVCIsInAiOiJ0b3JjZWRvcmVzIiwicGwiOiIifQ==”]

A alegação é de que a mudança da CBF ‘violaria os princípios democráticos’ pela diferença de pesos e por não ter provisões para candidaturas de oposição. O pleito que resultou na eleição de Rogério Caboclo, afastado por acusações de assédio, foi feito sob as regras contestadas pelo Ministério Público e que geram a controvérsia.

Com o recurso, o órgão vê ‘perigo’ no fato de, caso Caboclo seja afastado de forma definitiva, o pleito que indicaria seu sucessor poderia ser feito com as mesmas regras que são criticadas pelo MP no pedido original de anulação do pleito. Não há data para que este seja apreciado pela Justiça;

LEIA MAIS

Conmebol investigou até suspeita de manipulação de resultado em jogo do Fluminense na Libertadores

PUBLICIDADE