Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Avião que levava torcedores do Houston Astros para jogo da ALCS cai; acidente não teve mortos

Torcedores do Houston Astros iam para Boston para acompanhar o Jogo 4 da American League Championship Series contra o Red Sox

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Twitter/Divulgação

O Jogo 4 da American League Championship Series (nome oficial da final da Liga Americana) da Major League Baseball (MLB) teve um susto. Não necessariamente com a partida em si, mas com torcedores. Um avião com diversos fãs do Houston Astros, uma das franquias envolvidas na disputa, caiu pouco após decolar.

A queda aconteceu no condado de Waller, no estado do Texas – território em que fica o Houston Astros. A distância entre a cidade e o local do acidente é de cerca de 60 quilômetros. Xerife do condado em questão, Troy Guidry destacou que haviam 21 pessoas a bordo. Dentre elas, três de tripulantes e uma criança de dez anos. A viagem teria como destino final a cidade de Boston, onde a franquia enfrentou o Red Sox na última terça-feira. O time de Massachusetts venceu por 2-1.

Nem um fã do Houston Astros morreu no acidente. “Apenas” dois foram para o hospital.

Declarações e investigação

J. Alan Kent, dono de uma empresa de construção civil chamada Flair Builders, afirmou para a ABC13, emissora de televisão local, que o avião estava no nome dele. Mais do que isso: ele estava no avião que caiu. Também foi apurado que o avião de torcedores do Houston Astros, antes de cair, se chocou com a rede de energia do local – e deixou o local sem energia elétrica.

As investigações a respeito do acidente com torcedores do Houston Astros estão a cargo da National Transportation Safety Board, órgão ligado ao governo federal estadounidense.

LEIA MAIS
Equipe da NBA vê novo filme da saga Star Wars em shopping que era alvo de tiroteio
Terra plana: conheça as estrelas da NBA que acreditam na teoria
Craque do Golden State Warriors faz cirurgia e volta à NBA apenas em 2020, afirma empresário do jogador