Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Agora em Los Angeles, Rams terá que pagar cerca de R$ 4,4 bilhões a Saint Louis após saída da cidade

Agora em Los Angeles, Rams tiveram saída turbulenta da cidade; valor será pago pela liga, por Stan Kroenke (dono da franquia) e pelos demais donos de times

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Twitter/Divulgação

A mudança de uma franquia em uma major league estadounidense costuma ser traumática. Com o Rams, da National Football League (NFL), não foi diferente. Desde 2016 em Los Angeles, a equipe ficou de 1995 até 2015 em Saint Louis. A cidade, que sentiu-se lesada pela liga e pela direção da equipe por conta da mudança, irá ganhar um grande montante de dinheiro por conta da transferência. A decisão saiu nesta quarta-feira (24).

O processo judicial que a Prefeitura de Saint Louis movia contra a NFL e contra o Rams foi encerrado na data. E, nele, o município chegou a um acordo com a liga e com Stan Kroenke, dono da franquia. As duas partes pagarão US$ 790 milhões (cerca de R$ 4,430 bilhões) para a cidade. O processo corria há quatro anos e meio e a localidade pedia US$ 1 bilhão (cerca de R$ 5,61 bilhões).

A divisão do montante a ser paga não foi especificada por nenhuma das partes. Comumente, a NFL paga um valor, o dono da franquia (no caso, o Rams) paga outro e os demais 31 donos rateiam o restante.

Comemoração

Em comunicado, Tishaura Jones, prefeita de St. Louis, comemorou a decisão na esfera judicial. “Este acordo histórico fecha um longo capítulo para nossa região. Ele garante centenas de milhões de dólares para nossas comunidades. Dessa maneira, evita-se a incerteza do processo de julgamento e apelação”, destacou a democrata sobre o diálogo com o agora Los Angeles Rams.

LEIA MAIS
Equipe da NBA vê novo filme da saga Star Wars em shopping que era alvo de tiroteio
Terra plana: conheça as estrelas da NBA que acreditam na teoria
Craque do Golden State Warriors faz cirurgia e volta à NBA apenas em 2020, afirma empresário do jogador