Torcedores – Notícias Esportivas

Fórmula 1 pode ter corrida em nova sede a partir de 2023

A Fórmula 1 pode voltar ao continente afriano após quase três décadas de afastamento

Octávio Almeida Jr
Jornalista graduado pela Universidade da Amazônia (UNAMA), 29 anos.Repórter de campo pela Rádio Unama FM em duas finais de Campeonato Paraense (anos 2016 e 2017). Repórter no site Torcedores.com desde 2018.

Crédito: Divulgação/F1

A Fórmula 1 vem expandindo o mercado e buscando novas sedes para receber corridas em busca de atrair mais fãs. A medida deve continuar nos próximos anos e a principal categoria de automobilismo do mundo pode retornar ao continente africano após quase três décadas de afastamento.

Em entrevista concedida ao jornal The New York Times, o diretor-executivo Stefano Domenicali, deixou claro que a África do Sul tem chances reais de entrar no calendário da Fórmula 1.

“Temos duas opções para uma nova corrida, mas o cenário mais provável é a África do Sul. É parte do nosso planejamento”, reconheceu.

“Há um compromisso para avaliar se pode ingressar no calendário tão logo seja possível”, completou Domenicali.

O diretor-executivo da Liberty Media, Greg Maffei, reforçou o que disse Domenicali. O profissional da empresa de comunicação que é dona da Fórmula 1 ainda foi mais ambicioso. Afirmou que o país pode sediar até duas provas.

“Joanesburgo está definitivamente em nossa lista. Adoraríamos ter a Cidade do Cabo também, mas não sei se dá para fazer. Então Joanesburgo é a mais provável”, declarou.

O diretor-esportivo da Fórmula 1, Ross Brawn, por sua vez, lamentou a ausência da China por conta da covid-19.

“É uma pena que, por conta da Covid, tenhamos de perder o GP da China novamente. É ótimo que estamos recuperando o GP de Singapura e o do Japão, que é um evento incrível”, afirmou.

“Estamos num bom momento nos Estados Unidos e deu para ver, por exemplo, o interesse no GP da Austrália após dois anos de ausência. Mas voltar à África seria realmente incrível, assim como continuar a crescer na Ásia”, finalizou Brawn.

Hamilton já defendeu retorno ao país

Heptacampeão da Fórmula 1, o piloto britânico já se mostrou favorável à realização de uma corrida na África do Sul. Para sustentar a opinião, Lewis Hamilton citou questões familiares.

“Estamos praticamente em todos os continentes. Então por quê não? Meus ancestrais são de lá. Então por isso para mim é importante”, argumentou o piloto da Mercedes.

A África do Sul não sedia uma etapa do torneio desde 1993. As corridas, até então, eram realizadas no circuito de Kyalami.

Lewis Hamilton já defendeu o retorno da Fórmula 1 para a África do Sul - imagem: divulgação/F1

Lewis Hamilton já defendeu o retorno da Fórmula 1 para a África do Sul – imagem: divulgação/F1

Fórmula 1 desiste de corrida na Rússia e diminui calendário

Outra novidade referente às provas é que a Fórmula 1 oficializou, nesta quarta-feira (18) a redução do calendário.

Com isso, a atual temporada do campeonato de automobilismo terá 22 corridas e não mais 23 como estava previsto.

A medida ocorre após o cancelamento do Grande Prêmio da Rússia por conta da invasão de tropas do país em território ucraniano e a consequente guerra entre as nações europeias.

Os responsáveis pela gestão da F1 trabalharam, nos bastidores, para conseguir uma sede substituta. Contudo, não obtiveram sucesso e reduziram o calendário de 2022.

“O calendário da temporada 2022 agora será formado por 22 corridas, ao contrário das 23 provas originalmente planejadas. A mudança ocorre após a decisão de não substituir o Grande Prêmio da Rússia”, diz a Fórmula 1, em comunicado publicado no site oficial.