Home Futebol Casagrande vê Brasil em patamar abaixo e elege camisa 9 ideal para a seleção

Casagrande vê Brasil em patamar abaixo e elege camisa 9 ideal para a seleção

Comentarista adotou discurso totalmente sincero após vexame do time nacional no Pré-Olímpico

Bruno Romão
26 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: [email protected]
Dorival Júnior, técnico da seleção brasileira

Dorival Júnior, técnico da seleção brasileira- (Lucas Figueiredo/Getty Images)

PUBLICIDADE

Apesar do fracasso em campo, Casagrande não considera a ausência do Brasil nas Olimpíadas como uma total surpresa. Além da ausência de atletas decisivos, o ex-jogador considera que o momento de crise na CBF também impacta no desempenho da seleção. Diante disso, em sua visão, o respeito dos adversários sequer existe nos dias atuais.

“Eu acho normal, nós não somos mais os melhores. Não é surpresa nenhuma o Brasil fica fora das Olimpíadas. A CBF tem um problema de caráter. Nós sempre ganhamos as coisas quando tivemos grandes jogadores que faziam a diferença e o Brasil era super respeitado.”, disse Casão, no programa Posse de Bola.

Na sequência, Casagrande se aprofundou na reação dos rivais ao bater de frente com o Brasil. Diferentemente do passado, o comentarista acredita que os jogadores da seleção não causam mais medo e deixam os adversários com medo de uma atropelo dentro das quatro linhas.

PUBLICIDADE

“Nós não temos mais jogadores que chegam dentro de campo e assustam o adversário. Não estou dizendo que são jogadores ruins, podem se transformar em grandes craques, mas, atualmente, é mais marketing e direitos de imagem do que direitos de bola. Estamos atravessando um problema de personalidade.”

“Nós não temos um time que entra em campo, o adversário olha e fala: ‘Caraca, vamos ter que jogar contra esses caras’. Todo mundo vai pra cima e tenta ganhar do Brasil porque acha que pode.”, afirmou.

Casagrande sugere Endrick como titular no Brasil

Em relação ao grupo que disputou o Pré-Olímpico, Casagrande não condenou o desempenho de Endrick. Neste contexto, o ídolo do Corinthians considera que o jovem merece ganhar uma sequência como titular na seleção principal para que o problema da camisa 9 seja resolvido.

“Eu vejo uma seleção com poucos jogadores que possam chegar na principal e se desenvolver. O Endrick acho que merece ser titular, mas não temos tantos jogadores assim para bater de frente com seleções mais experientes, mais trabalhadas, com um time mais organizado e um treinador respeitado.”, opinou.

PUBLICIDADE