Home Futebol Vampeta “decreta” futuro da seleção brasileira na Copa do Mundo após novo vexame

Vampeta “decreta” futuro da seleção brasileira na Copa do Mundo após novo vexame

Pentacampeão do mundo não acredita que a atual geração do futebol nacional vai conquistar o hexa

Bruno Romão
26 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: [email protected]
Vampeta fez alerta sobre atual geração do futebol brasileiro.

Endrick e Maurício, em participação do Brasil no Pré-Olímpico (Joilson Marconne/CBF)

PUBLICIDADE

Integrante do último grupo do Brasil que faturou o título da Copa, Vampeta se encontra pessimista com a atual geração. Reagindo à derrota contra a Argentina no Pré-Olímpico, o ex-jogador considera que os jovens da seleção não possuem a capacidade de conseguir o hexa para a seleção no Mundial dos Estados Unidos, México e Canadá.

“Eu fico muito tranquilo, para mim tá tudo bom! Essa geração que vem pela frente é para não ganhar mesmo a Copa do Mundo.”, disse Vampeta, no programa Canelada, da Jovem Pan.

Questionado por Thiago Asmar, Vampeta deixou claro que o Brasil protagonizou um vexame no Pré-Olímpico. Por conta do grupo de atletas bastante qualificado, o comentarista fez questão de dar ênfase ao fracasso da seleção em campo.

PUBLICIDADE

“Você tá feliz?”, perguntou Pilhado.

“Essa (geração) que vocês estão falando? É vexame, pô. Tem jogador do Chelsea, do Real Madrid, jogadores com proposta, o Maurício tem proposta…”, respondeu o pentacampeão do mundo.”, respondeu Vampeta.

Pilhado repete Vampeta e detona seleção olímpica

Na visão de Thiago Asmar, a ausência do Brasil nas Olímpiadas pede um momento de reflexão. Como os jovens convocados possuem bastante qualidade, o jornalista levantou duas hipóteses para explicar o fracasso na competição sul-americana.

“A seleção brasileira olímpica é uma piada. O Brasil está fora das Olimpíadas de Paris. O Endrick vai falar que é culpa da imprensa porque perdeu da Venezuela, e uma lição para imprensa que falou que a gente era favorito. Cabe a gente refletir sobre essa geração do nosso futebol. Ou é uma geração amarelona ou que não é boa de bola.”

PUBLICIDADE

“O Endrick custou 60 milhões de euros, e joga muita bola. O John Kennedy decidiu Libertadores para o Fluminense. Andrey saiu do Vasco para o Chelsea. Maurício é titular do Internacional… Ramon Menezes não dá. Não tem como defender.”, disparou.