Home Futebol Ídolo do Grêmio, Jardel lembra passagem por clube brasileiro: “Inesquecível”

Ídolo do Grêmio, Jardel lembra passagem por clube brasileiro: “Inesquecível”

Ex-atacante marcou gols de título, lutou por espaço, mas não saiu da melhor forma após ter sido emprestado

Matheus Camargo
Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), colaborador do Torcedores.com desde 2016. Radialista na Paiquerê 91,7.
Jardel, Vasco

Jardel durante entrevista (Reprodução)

O ex-atacante Jardel é ídolo do Grêmio, onde foi campeão brasileiro e da Libertadores, além de ter brilhado no futebol português, onde foi artilheiro em Porto e Sporting. Porém, o ex-atleta lembrou em entrevista ao Ge como foi sua passagem pelo Vasco, clube que o revelou e onde marcou os gols do tricampeão carioca, em 1994.

PUBLICIDADE

Jardel chegou ao Vasco em 1991, mas só ganhou espaço na equipe em 1993. No ano seguinte, após a morte de Dener em trágico acidente de carro, ele foi o escolhido pelo técnico Jair Pereira para assumir a vaga de titular após conselho do então zagueiro Ricardo Rocha. Jardel entrou no time e marcou os dois gols na decisão contra o Fluminense, no Maracanã.

“Não fui unanimidade no Vasco, as pessoas me chamavam de grandalhão desengonçado, e esse grandalhão desengonçado fez dois gols na final. Tive uma história muito bonita, mas não tenho tanta identificação com a torcida, até porque era inconstante a titularidade”, lembrou Jardel sobre sua passagem pelo Cruzmaltino.

PUBLICIDADE

O ex-atacante, porém, não escondeu a admiração que tem pelo clube que o revelou e que o emprestou em 1995 para o Grêmio, onde fez história.

“Devo muito ao Vasco, sou muito grato a todos que participaram da minha história no clube. Para mim é inesquecível. Infelizmente não acabou bem, saí emprestado”, lembrou o ex-centroavante.

“As pessoas perguntam: “Como esse cara foi campeão e artilheiro da Libertadores e aqui no Vasco não foi tão aproveitado?””

Gols de título, desconfiança da torcida do Vasco e treinos na praia

Jardel disse ainda que tinha “destino escrito” no Vasco. Ele revelou que chegou a fazer uma consulta a um pai de santo antes de assumir a titularidade e lá ouviu que faria os gols do título do Campeonato Carioca. Porém, mesmo com a final marcante, não se firmou no clube.

PUBLICIDADE

“Foi uma história meio desconfiada da torcida do Vasco comigo, mas meu destino estava escrito. Eu tinha que fazer aqueles gols”, destacou Jardel, que se afirmou como ídolo do clube carioca.

“Hoje, eu sou ídolo do Vasco, do Grêmio, do Porto, do Sporting e do Galatasaray. Poucos jogadores do mundo conseguem isso. É muita história, costumo dizer que o sucesso dá muito trabalho. Tenho certeza de que Deus guardou e guarda coisas boas para mim, sou um homem de muita fé.”

O ex-atacante disse que tentou buscar seu espaço no Vasco e que treinava à na praia para chegar bem aos jogos.

“Com muito trabalho, sacrifício e treino. As pessoas não sabiam, mas eu treinava na praia à noite. Já cabeceava bem e fazia dois treinos extras na praia, correndo e treinando finalização, cabeceio”, revelou.

PUBLICIDADE

“Ficava fácil na hora do jogo, só escolhia o canto para colocar a bola. Nada foi por acaso.”