Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Aos 52 anos, Kazu renova com o Yokohama e vai jogar sua 35ª temporada na carreira

Kazu teve passagens por Santos, Palmeiras, Coritiba e outros clubes brasileiros 

Jeferson Macedo
Colaborador do Torcedores.com.

Foto: Divulgação

Detentor do recorde de jogador mais velho a atuar profissionalmente, o japonês Kazuyoshi Miura, renovou contrato com o Yokohama para mais uma temporada. O Yokohama, foi vice-campeão da segunda divisão japonesa em 2019, e neste ano disputará a J-League, primeira divisão do japão.

Futebol de graça e ao vivo por 1 mês? Conheça o DAZN Brasil!

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Kazuyoshi jogou no Brasil na década de 80, por aqui, ficou conhecido como Kazu. O jogador nasceu em Shizuoka, e aos 15 anos viajou para São Paulo, onde atuou nas divisões de base da Juventus. Em seu primeiro ano como profissional, jogou por Santos e Palmeiras, em 1986. O jogador Japonês também atuou no Matsubara, CRB, XV de Jaú, Coritiba e, novamente, no Santos, em 1990, e depois retornou ao Japão.

No Brasil, Kazu conquistou os seguintes títulos: campeão alagoano pelo CRB, em 1987, e paranaense pelo Coritiba, em 1989. Fora do país Kazuyoshi, foi campeão croata pelo Croácia Zagreb, em 1999, e campeão japonês quatro vezes pelo Tokyo Verdy (1991, 1992, 1993 e 1994), além de ter vencido a segunda divisão japonesa com o Yokohama em 2006.

O Yokohama estreia no Campeonato Japonês no próximo dia 23 de fevereiro, contra o Vissel Kobe. O jogo acontece três dias antes do aniversário de Kazu, que vai completar 53 anos. A temporada 2020 será a 35ª consecutiva do atacante. Além dos clubes, Kazu jogou também pela seleção japonesa entre 1990 e 2000, marcou 55 gols e participou de 89 partidas, além de ter ajudado o país na conquista da Copa da Ásia, em 1992.

LEIA MAIS:

Novo treinador do Santos posta foto com Gabigol: “melhor marcador do Brasileirão”

Barcelona quer evitar que jogadores usem as redes sociais durante jogos, diz jornal