Mino Raiola critica mecanismo de transferências da FIFA: “É uma forma de tráfico humano”

Mino Raiola criticou o sistema de transferências controlado pela FIFA e questionou as últimas transferências do mercado europeu

Luis Fernando Filho
Jornalista formado, 23 anos, e fanático pelo futebol bem jogado para além das quatro linhas.

Crédito: Getty Images

O agente polêmico do futebol europeu fez duras críticas ao mercado de transferências e comparou o formato com o tráfico de pessoas.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

O empresário italiano é representante de grandes astros mundiais como Paul Pogba, Zlatan Ibrahimovic e Erling Haaland, e criticou a FIFA pela cobrança das comissões.

Em entrevista à revista “Voetbalmagazine”, Mino Raiola creditou, inclusive, a criação do mercado de transferências ao seu nome.

“Pode parecer arrogante da minha parte, mas eu criei este mercado. O futebol tornou-se um espetáculo e entretenimento. Inventei o mercado de transferências nos 25 anos em que estive ativo. Agora é uma indústria gigantesca que formei sem abrir a boca e a defender sempre a posição dos meus jogadores”, disse o agente famoso no mundo futebol.

O agente italiano tem sido criticado durante as últimas janelas justamente pela cobrança de comissões milionárias. Há quem diga, por exemplo, que ele dificultou negociações de Haaland com Manchester United.

Segundo informações noticiadas no Torcedores, Mino Raiola teria pedido mais de R$30 milhões de comissão para vender o norueguês ao clube inglês.

As críticas de Mino Raiola sobre a FIFA

Dessa forma, o empresário voltou a criticar a crítica esportiva acerca do seu trabalho em negociações de mercado nos últimos anos.

“É estranho que questionem as minhas transações, mas não ouvi ninguém da FIFA questionar depois de o Ajax ter vendido os dois jovens [De Ligt, para a Juventus, e De Jong, para o Barcelona]. O velho sistema da FIFA terminou. Começa uma nova era, estamos a criar novas bases. É hora de uma revolução”, afirmou.

Com os recentes casos de burlamento do Fair Play Financeiro, além de outras questões relacionadas ao equilíbrio financeiro dos clubes, a FIFA em sido alvo de críticas.

Sobre o atual formato de transferências no mundo do futebol, Mino foi enfático ao sugerir a destruição do sistema controlado pela instituição máxima.

“Por mim terminaríamos imediatamente com o atual sistema de transferências. Eles [a FIFA] ficam com uma parte dos valor dos jogadores e, sem esse sistema, os clubes teriam mais dinheiro para contratar. Este sistema de transferências é uma forma de tráfico humano”, completou.

LEIA MAIS: GUARDIOLA defende HAZARD e diz que o “problema” está no Real Madrid

5 promessas que estão surpreendendo na EUROPA nesta temporada