GP do Canadá terá destino selado após a Páscoa

GP do Canadá está previamente marcado para o dia 14 de junho

Carlos Lemes Jr
Colaborador do Torcedores.com.Jornalista formado, desde 2012, e no Torcedores, desde 2015. Matérias exclusivas pelo site publicadas nos portais IG, MSN e UOL.

Crédito: Divulgação/Red Bull

O mundo da Fórmula 1 continua em constante tensão, por conta do coronavírus. Depois do adiamento do GP do Azerbaijão, a “bola da vez” pode ser o GP de Montreal no Canadá, previsto, inicialmente, para o dia 14 de junho.

Cartão de crédito sem anuidade? Abra sua conta Meu BMG agora!

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Siga AO VIVO as últimas notícias do coronavírus no esporte

“Como você pode imaginar, estou conversando quase todos os dias ou a cada dois dias com a F1. Também estou discutindo com as autoridades locais daqui, com a cidade e o governo. Ainda está no calendário, conforme planejado, em 14 de junho. Estamos otimistas, mas também realistas”, declarou  François Dumontier, promotor da prova, em entrevista à revista britânica ‘Autosport’.

O primeiro GP do Canadá foi disputado em 1967 e não foi realizado em três ocasiões: 1975 (por causa da preparação para os Jogos Olímpicos de 76), 87 e 2009. Apesar do tom “em cima do muro”, quanto a realização do GP, Dumontier espera realizar a etapa e classifica a não realização como “Muito azar”.

“Seria muito azar não poder realizar o evento. Posso entender que a F1 precisa olhar para a situação geral em todo o mundo. Mas, se formos para lá, vamos trabalhar para 2021. Como disse, somos otimistas, mas, ao mesmo tempo, somos realistas e lúcidos. Precisamos avaliar a situação por quase uma hora. Ainda temos duas ou três semanas pela frente. Se precisarmos adiar o evento, então o faremos, porque, se fizermos o evento, precisaremos fazê-lo em um ambiente seguro para pilotos, espectadores e trabalhadores de todo o mundo”, concluiu na mesma entrevista.

LEIA MAIS

Helmut Marko mantém desejo de transformar Verstappen no campeão mais jovem da Fórmula 1