Ex-Grêmio revela “vantagens” de jogar no Shakhtar Donetsk: “O presidente é dono de shopping e dá desconto em tudo”

Jogador era uma promessa da base do Tricolor Gaúcho, mas sequer estreou no time profissional

Raffa Carolina
Colaboradora do Torcedores.com.

Crédito: Laurence Griffiths/Getty Images

Contratado pelo Shakhtar Donetsk no início de 2019, o meia-atacante Mateus Tetê era um prodígio das categorias de base do Grêmio, mas não atuou pelo time profissional. No clube ucraniano, ele possui diversas vantagens extra-campo, como desconto em lojas de um shopping de Kiev.

Em entrevista ao portal UOL, Mateus Tetê comentou sobre a vida na Ucrânia. “O presidente é dono do shopping e dá 20% de desconto em tudo, em qualquer loja. Uma loucura! Faz uns três meses que a gente recebeu um cartão para apresentar no caixa na hora de pagar”.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

O presidente em questão é Rinat Akhmetov, que comanda o Shaktar desde 1996. Segundo a revista Forbes, ele é o sexto dono de um clube de futebol mais rico do mundo, com fortuna estimada em US$ 15,4 bilhões (R$ 81 bilhões) e shopping localizado na zona nobre de Kiev.

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

A negociação de Mateus Tetê com o Shakhtar Donetsk rendeu ao Grêmio um valor de 10 milhões de euros (R$ 42 milhões na cotação da época). Já são 36 jogo pelo time ucraniano, com nove gols marcados.

O meia de 20 anos é viciado em shopping e em boliche: “Gosto muito de dar uma volta no shopping, lá tem boliche e kart. Bolichinho é bom para descontrair. O shopping do presidente é bom, bem bom mesmo. Dentro do shopping dele o desconto é certo. É bom, dá para comprar umas coisinhas a mais”, conta.

Tetê mora com alguns familiares que se mudaram após a transferência para o Shakhtar. Agora ele não consegue ir shopping por conta da pandemia do coronavirus. O ex-Grêmio só consegue sair de casa para ir à academia do clube.

Mateus destaca como foi recebido pelos outros 13 brasileiros que estão no Shakhtar, em especial um: “O Dentinho me ajudou muito quando eu cheguei, me contou como era o clube e o país. Ele me ajudou demais mesmo”.

Uma das coisas que mais chamou a atenção de Tetê assim que chegou à Ucrânia foi a diferença no estilo de jogo: ” Aqui é tudo muito mais rápido. Vem um na marcação, é driblado e já tem outro em cima. Estou fazendo treinos para melhorar a parte física, desencolver o corpo e já mudei bastante desde que saí do Grêmio”.

LEIA MAIS SOBRE O GRÊMIO

Por “correção” do passado, ex-Grêmio projeta retorno, revela brincadeira com Douglas Costa e cita até conversa com Bolzan

Vazam na web supostas novas camisas do Grêmio; veja fotos