Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Ministro de Esportes da Itália não garante o retorno do futebol no país: “retomar os treinos não significa retomar o campeonato”

O Campeonato Francês e o Holandês já tiveram o calendário cancelado, mas outros ainda podem ser afetados

Jeferson Macedo
Colaborador do Torcedores.com.

Foto: Reprodução

O  coronavírus já vinha causando transtorno no futebol com o adiantamento de muitos jogos, agora a pandemia ameaça o calendário de algumas competições. O Campeonato Holandês e o Francês já tiveram a temporada cancelada, agora os olhos se voltam para a Itália, país tem previsão de retorno dos treinamentos, mas o Ministro do Esporte, V.Oncenzo Spadafora diz que isso não é garantia de retorno dos campeonatos.

“Entre quarta e amanhã acompanharão os contatos entre a comissão técnico-científica e a Federação Italiana de Futebol (FIGC), que anteriormente apresentou um protocolo sobre o treinamento considerado insuficiente. Mas retomar os treinos não significa retomar o campeonato”.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

E seguiu: “Eu honestamente vejo o caminho para retomar a competição cada vez menor. O assunto de treinamento é diferente, mas se eu fosse presidente de um clube da Série A começaria a pensar na próxima temporada”, falou o ministro.

O ministro ainda reconheceu a importância do esportes para a economia do país, mas disse que a saúde de jogadores e de envolvidos com o esporte é mais importante.

“Como ministro do esporte, eu seria um louco se ele discriminasse o futebol, o que traz dinheiro para todo o sistema esportivo, mas se a competição não puder ser retomada com segurança, seremos obrigados a parar. É um absurdo que três ou quatro presidentes não entendam”, concluiu.

LEIA MAIS:

Por onde andam os campeões espanhóis com o Atlético de Madrid em 2014

Ronaldinho fala pela primeira vez após a prisão no Paraguai: “Foi um golpe duro”

Adebayor se recusa a ajudar no combate ao coronavírus: “Faço o que quero com o meu dinheiro”