Em Live, Arnaldo Ribeiro lembra que Ronaldo Fenômeno e Gamarra não jogaram no São Paulo por vetos de Telê Santana

Em Live no canal Arnaldo e Tironi com Antonio Tabet, Arnaldo Ribeiro destacou que tanto Ronaldo Fenômeno quanto Gamarra estiveram próximos do São Paulo

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Twitter/Reprodução

No Mercado da Bola, é tradicional que muitas contratações ventiladas não se concretizem. Algumas, por sinal, são muito desejadas pelos torcedores e podem virar piada para os rivais. Duas contratações que poderiam ser bombásticas na década de 1990 não foram para frente. E ambas envolvem o São Paulo. Tudo foi esmiuçado por Arnaldo Ribeiro, no canal Arnaldi e Tironi, que mantém juntamente com o também jornalista Eduardo Tironi. Isso em uma live com Antonio Tabet, criador do Kibe Loco, integrante da Porta dos Fundos e ex-vice-presidente de Comunicação do Flamengo.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

O primeiro dos atletas foi Carlos Gamarra. O zagueiro paraguaio, que se tornou ídolo do arquirrival Corinthians, esteve muito próximo do São Paulo”Teve um momento em que o São Paulo precisava contratava um zagueiro. Foi indicado o Gamarra. Ele acabou indo para o Internacional. O Telê falou que não, dizendo que ele era muito baixo e não tinha pescoço. Logo, não cabeceia. Nisso, ele trouxe o Ari, do Manchester Juiz de Fora”, lembrou Arnaldo Ribeiro.

O substituto, porém, teve passagem efêmera e ruim pelo Tricolor. “O Ari só fez uma partida pelo São Paulo. Foi um amistoso contra o Werder Bremen, por conta da contratação do Junior Baiano. Foi 4×0 para os alemães, quatro gols em cima do Ari. Ele nunca mais jogou”, comentou Arnaldo Ribeiro.

Ronaldo Fenômeno

Outro que também poderia ser jogador tricolor e vestiu a camisa do Corinthians foi o Fenômeno. “O Ronaldinho Fenômeno, antes de ir para o Cruzeiro e saindo do São Cristóvão, foi oferecido ao São Paulo pelo Jairzinho. Ele tinha parte do passe do atleta. O Telê achou que não valia pagar porque a base do SPFC tinha outros muleques melhores”, finalizou Arnaldo Ribeiro.

Está em dúvida sobre qual curso de faculdade escolher?

LEIA MAIS
Rogério Ceni surpreende: “Fiz o mesmo trabalho no Fortaleza e no São Paulo”
Bruno Alves celebra boa fase no São Paulo: “Melhor ano da carreira”
No Twitter, São Paulo comemora 25 anos do bicampeonato Mundial de Clubes