Zico, Dida, Adriano, Júnior e mais: confira dez jogadores considerados “lendas” na história do Flamengo

Entre inúmeros ídolos, o Torcedores listou dez “lendas” que fazem parte da gloriosa trajetória do Flamengo

Adriano Oliveira
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Divulgação

Símbolo de “raça, amor e paixão”, como cantam seus mais de 40 milhões de torcedores, o Flamengo se tornou um dos clubes mais vitoriosos e conhecidos de todo o planeta, colecionando conquistas, partidas memoráveis, histórias e craques que se consagraram exibindo muito talento dentro das quatro linhas.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

Relembre alguns dos melhores momentos de Zico com a camisa do Flamengo; o lendário camisa 10 ganhou todos os títulos com a camisa rubro-negra

 

Confira abaixo dez jogadores considerados “lendas” na rica trajetória do Flamengo, que em novembro completará 125 anos. Ídolos idolatrados pelos torcedores que tão bem representaram a camisa rubro-negra nos campos de futebol do Brasil e do mundo:

Zico, o maior de todos

Data da foto: 11/1981 Zico, do Flamengo, comemorando gol contra o Cobreloa do Chile, na Final da Taça Libertadores da América de Futebol, no Estádio do Maracanã (Divulgação)

Divulgação

Arthur Antunes Coimbra, mundialmente conhecido por Zico, começou a jogar futebol de salão num time formado por amigos e familiares chamado Juventude, do bairro de Quintino Bocaiúva, no Rio de Janeiro, de onde vem o apelido “Galinho de Quintino”. Estreou pelo time profissional do Flamengo em 1971 e se tornou, de forma incontestável, o maior ídolo da história do clube, conquistando sete Campeonatos Cariocas, três Campeonatos Brasileiros, uma Copa União, uma Copa Libertadores da América e um Mundial Interclubes, além de mais 24 títulos, em 732 partidas disputadas e 509 gols marcados.

Júnior, o “Vovô Garoto”

Júnior no Flamengo (Reprodução)

Reprodução

Leovegildo Lins da Gama Júnior, o “maestro” Júnior é o jogador que mais vezes vestiu a camisa rubro-negra em toda a história com 874 partidas disputadas, mais 77 gols marcados e inúmeros títulos conquistados em 16 temporadas dentro do clube que o revelou. Começou a carreira profissional como lateral em 1974 e encerrou como destaque e comandante da equipe que ganhou o Campeonato Brasileiro de 1992, o quarto de sua carreira.

Dida, a lenda que inspirou o Galinho

Dida no Flamengo (Reprodução)

Reprodução

Natural de Maceió, Dida é o maior jogador da história do futebol de Alagoas e uma das “lendas” rubro-negras que tanto inspirou nada menos que Zico, o ídolo máximo do clube. Meia talentoso, foi destaque no histórico tricampeonato carioca de 1953, 1954 e 1955, além de novamente campeão estadual em 1963 e do Torneio Rio-São Paulo dois anos antes. É também o segundo maior artilheiro do Flamengo com 264 gols em 357 jogos. Na seleção brasileira, fez parte do elenco que ganhou a Copa do Mundo na Suécia em 1958, como reserva de Pelé. Faleceu em setembro de 2002 aos 68 anos.

Petkovic, o ídolo contemporâneo

Petkovic no Flamengo (Divulgação/ Gaspar Nóbrega/ VIPCOMM)

Divulgação/ Gaspar Nóbrega/ VIPCOMM

É chamado na Gávea de “o sérvio mais brasileiro do mundo”. Meia de técnica apurada e exímia capacidade de visão de jogo, Dejan Petkovic chegou ao Flamengo em 2000 e rapidamente caiu nas graças da torcida. Foi o grande destaque no tricampeonato carioca de 1999-2000-2001 e teve participação importante na conquista do Brasileirão de 2009. O histórico gol de falta marcado no Maracanã diante do Vasco, aos 43 minutos do segundo tempo, que selou o título estadual de 2001, ficará marcado para sempre na memória de todos os flamenguistas.

Zizinho, a referência do Rei

Zizinho no Flamengo (Reprodução)

Reprodução

Tomás Soares da Silva, ou simplesmente Zizinho, estreou entre os profissionais do Flamengo em 1939 e foi o sucessor de Leônidas da Silva no início da década de 40, além de ter sido a principal referência de Pelé, o Rei do Futebol. Protagonista do tricampeonato carioca de 1942-1943-1944, “Mestre Ziza” entrou em campo 318 vezes vestindo a camisa rubro-negra e assinalou 145 gols em 11 temporadas na Gávea. Faleceu em fevereiro de 2002 aos 80 anos.

Adriano, o “Imperador”

Adriano Imperador (Reprodução)

Reprodução

Revelado nas categorias de base do Flamengo, Adriano estreou na equipe principal em 2000. Balançou as redes pela primeira vez na goleada por 5 x 2 sobre o São Paulo em pleno estádio do Morumbi, pelo Torneio Rio-São Paulo, e no mesmo ano foi convocado pelo técnico Emerson Leão para defender a seleção brasileira. O “Imperador” tem duas passagens pelo clube que o revelou, somando 81 jogos e 43 gols, e conquistou os troféus do Campeonato Carioca em 2000 e 2001, da Copa dos Campeões em 2001 e foi o grande destaque e dono da camisa 10 na campanha do título do Campeonato Brasileiro de 2009.

Adílio, “O Brown” driblador

Adílio (Reprodução)

Reprodução

Driblador, criativo e clássico. Assim pode ser definido o futebol do talentoso volante e meia Adílio, criado na base do clube e que vestiu a camisa rubro-negra em 616 oportunidades entre os anos de 1975 e 1987, se tornando o terceiro jogador com maior número de jogos, atrás somente de Júnior e Zico. Marcou 129 gols e conquistou a Copa Libertadores da América e o Mundial Interclubes em 1981, além dos Campeonatos Brasileiros de 1980, 1982 e 1983, entre vários outros títulos.

Leandro, o lendário lateral

Leandro, o "Peixe Frito" (Reprodução/ YouTube)

Reprodução/ YouTube

Considerado um dos maiores laterais-direito de todos os tempos, Leandro também atuava como zagueiro, lateral-esquerdo, volante, meia e até de atacante. Ambidestro, muitos torcedores afirmam que o “Peixe-Frito” tinha mais habilidade que Zico. Revelado nas categorias de base, contabilizou 417 jogos vestindo a camisa do Flamengo e dedicou toda sua carreira profissional ao clube rubro-negro. Marcou 14 gols e conquistou 16 títulos em dez temporadas, entre eles três Campeonatos Brasileiros, a Copa Libertadores da América e o Mundial Interclubes.

Nunes, o “Artilheiro das Decisões”

Nunes, o "Artilheiro das Decisões" (Reprodução)

Reprodução

João Batista Nunes de Oliveira, mais conhecido por Nunes, “João Danado” ou principalmente o “Artilheiro das Decisões”. Irreverente, folclórico e, como diz seu apelido, mortal na frente do gol. Nunes defendeu as cores rubro-negras por oito anos, disputou 214 duelos e assinalou 99 gols. O lendário centroavante da Gávea balançou as redes em, pelo menos, quatro jogos decisivos que valeram títulos conquistados pelo Flamengo: no Campeonato Brasileiro de 1980, no Carioca e Mundial Interclubes de 1981 e novamente no Campeonato Brasileiro em 1982.

Raul Plassmann, o “Velho” campeão

Raul Plassmann (Divulgação)

Divulgação

Raul desembarcou na Gávea em 1978, vindo de uma longa e destacada passagem pelo Cruzeiro. Vestiu a camisa rubro-negra 228 vezes e se tornou um dos jogadores mais vencedores da história clube ao ter conquistado como titular quatro Campeonatos Cariocas (1978, 1979, 1979 e 1981), três Campeonatos Brasileiros (1980, 1982 e 1983), a Copa Libertadores e o Mundial Interclubes de 1981. O Flamengo sempre teve grandes arqueiros, como Cantarele, Zé Carlos, Gilmar, Clemer e Júlio César, por exemplo, mas Raul Plassmann é considerado por boa parte da torcida como o melhor goleiro do time carioca em todos os tempos.

LEIA MAIS

Você assistiria à reprise de qual desses jogos históricos do Flamengo?

Cantarele, Júlio César, Clemer, Raul e mais: confira os 10 goleiros com mais jogos pelo Flamengo

Você sabe por que as cores do Flamengo são vermelho e preto?

Gabriel jogou? E Michael? Você lembra da última escalação do Flamengo antes da paralisação?