Mais uma dívida? Prefeitura de SP cobra cerca de R$ 20 milhões do Corinthians por usar rua como estacionamento

Conforme noticiado pelo Blog do Perrone da UOL, o Corinthians tem mais um valor pendente, agora com a prefeitura de São Paulo

Diego Lucio Castro de Oliveira
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução/Corinthians

E os problemas extra-campo do Corinthians parecem não acabar. A notícia ruim dessa quinta-feira(25), é sobre uma cobrança da prefeitura de São Paulo, em relação ao uso da avenida como estacionamento do Parque São Jorge, sede do clube.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

 

O processo e os valores que o Corinthians deverá pagar

O jornalista Ricardo Perrone publicou em seu blog, a decisão que consta no Diário da Justiça de São Paulo desta quinta(25), onde o Corinthians deverá pagar R$ 19,6 milhões para a prefeitura de São Paulo.

Está em dúvida sobre qual curso de faculdade escolher?

Serão R$ 265.876,88 de valores locatícios pelo uso em outubro de 2019 e R$ 19.405.289,96 para o período entre maio de 2009 e junho de 2015. O clube ainda terá que pagar sucumbências e honorários. A quantia total deve superar então os R$ 20 milhões.

O Corinthians se defende, alegando que existe lei municipal que autoriza a utilização do espaço como estacionamento. O clube alegou também que suas instalações estão à disposição de diversos órgãos públicos e entidades governamentais. Além disso, instituições de ensino da região também usam o local como estacionamento.

História antiga

A Justiça já havia condenado o Corinthians a devolver a área. Em 2010, a prefeitura entrou com ação de reintegração de posse, contestando a lei municipal de 1996 que outorgou ao Corinthians o uso gratuito da área por 99 anos.

De qualquer forma, o clube deve recorrer da decisão.

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

LEIA MAIS
10 jogadores que retornaram ao Corinthians mas não foram tão bem quanto na primeira passagem

De chororô à pescaria: 10 jogadores que comemoraram gols com provocações aos rivais

CBF deve implementar duas janelas de negociação para 2020