Vice do Atlético alerta Flamengo sobre MP e ataca presidente do Bahia: ‘Ignorância ou ingenuidade’

Lásaro Cândido da Cunha entende que a medida beneficia apenas o Flamengo e quer decisões em conjunto

Eder Bahúte
Colaborador do Torcedores

Crédito: Bruno Cantini / Atlético-MG

O vice-presidente do Atlético, Lásaro Cândido da Cunha, fez duras críticas a medida provisória (MP) 984, que altera as regras de direitos de transmissão de televisão no futebol brasileiro. Segundo o dirigente, ela favorece apenas o Flamengo, o qual entende ter adotado uma postura muito individualista.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

Na sua visão, tal mudança precisaria ser discutida de forma coletiva. Lásaro também reprovou o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, que teria dado declarações a favor da medida.

“Primeiro de tudo eu queria destacar a ingenuidade, de modo geral, dos clubes. Eu vi o presidente do Bahia dizendo que era uma maravilha, sendo que é uma MP completamente irresponsável. Este assunto não foi discutido coletivamente. É uma ingenuidade pois os clubes possuem contrato até 2024 com a Globo e outros com o Esporte Interativo. Então, esta medida provisória não tem urgência nenhuma, é uma medida exclusiva do Flamengo. É motivo de responsabilização de alguém editar uma medida provisória para atender um único clube. É inacreditável”, diz Lásaro em entrevista ao canal do jornalista Breno Galante, no YouTube.

“As pessoas precisam entender que no mundo inteiro as competições são vendidas coletivamente. Então, se quiserem uma sugestão de lei nós até preparamos. O nosso projeto de lei diz que os direitos das competições têm que ser comercializados por uma entidade jurídica que represente os clubes. E estes direitos precisariam ser obedecidos de acordo com sua proporção, enfim, você pode estabelecer outros modelos. Não necessariamente uma Liga, mas uma associação de clubes. Agora, o direito tem que pertencer a coletividade dos clubes”, completa.

Atlético

Entenda mais sobre a MP 984

“Eu vi pessoas e entidades aí adorando esta MP. Primeiro, nós iremos acabar desvalorizando o produto, o Campeonato Brasileiro. Segundo, vamos estabelecer uma distância enorme, desequilibrando completamente. Os direitos de transmissão é simples: vendidos coletivamente. Se o Flamengo acha que ele pode competir com o Liverpool, vai lá então. Eu vi o presidente do Bahia dizendo que o futebol vai mudar. Mas quanta ingenuidade. Será que ele não leu? Sabe, é ignorância ou ingenuidade – ou são as duas coisas – a manifestação de muitas pessoas ligadas ao futebol. Esta medida provisória precisa ser jogada no lixo e tramitar em projeto de lei. Se alguém quiser nós temos o texto. E a partir daí uma associação responsável pelos clubes irão vender os direitos. É simples. Esta medida aí é para resolver o problema do Flamengo. E outra coisa, eles estão comemorando muito, pois é uma liminar que permitiu a transmissão. Se ao final ela for julgada em procedente, se a medida for rejeitada, as relações jurídicas serão reguladas e pode gerar uma passivo enorme. As coisas feitas de forma apressada poderá lá na frente ter um custo elevado”, concluiu.

A princípio, o Flamengo vai transmitir o confronto contra o Boavista na quarta-feira (1º), às 21h30, pelo Campeonato Carioca. O Rubro-Negro já programou no YouTube a exibição do jogo válido pela última rodada da Taça Rio.

LEIA MAIS: