Não foi só Tandara! 9 jogadores que tiveram mais de uma passagem pelo mesmo clube

Nesta quarta-feira (08), o Osasco-Audax anunciou o retorno de Tandara ao clube. Mas não foi só a oposta que retornou a um time mais uma de vez, nesta janela, o Sada Cruzeiro trouxe Alan de volta após três anos

Andressa Fischer
Gaúcha, 22 anos | Escrevo sobre vôlei, futebol feminino e dupla Gre-Nal.

Foto: Foto: Divulgação/Osasco VC

Assim como Tandara e Alan retornaram para Osasco e Cruzeiro, respectivamente, outros jogadores também tiveram mais de uma passagem por clubes onde ficaram marcados. No vôlei brasileiro, além dos dois citados, vários há alguns nomes conhecidos e que se destacaram também pela seleção brasileira.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

Dessa forma, o Torcedores.com montou uma lista com 10 jogadores que tiveram duas ou mais passagens diferentes pelo mesmo clube.

Tandara e mais 9: os jogadores que tiveram mais de uma passagem pelo mesmo clube

Tandara

Depois de uma breve passagem pelo Sesc Rio na última temporada, a oposta da seleção brasileira foi anunciada como novo reforço do Osasco nessa quarta (08). A brasiliense jogou pela última vez na equipe paulista, entre 2016 e 2018, quando nesse ínterim, foi a maior pontuadora e melhor jogadora da Superliga.

As outras passagens da atacante foram ainda na época do Finasa, na temporada 2007/8. Depois, retornou pela primeira vez em 2011 e foi campeã da Superliga, sendo maior pontuadora da competição e MVP da final.

Alan

Formado na base do Sada Cruzeiro, voltou ao time mineiro em 2020, depois de três temporadas sendo destaque absoluto do Sesi. E retorna como um dos principais nomes da seleção brasileira. Pela Raposa, foi bicampeão mundial, tricampeão da Superliga e bicampeão do Sul-Americano.

Amanda

Octacampeã da Superliga pelo Rio de Janeiro, era uma espécie de talismã de Bernardinho nos 11 anos que defendeu a equipe carioca. Depois de passar por Brasília e Praia Clube, foi convocada por José Roberto Guimarães para a seleção.

Em 2019, retornou ao clube carioca e foi escolhida como a capitã da equipe. Em 2020, renovou com o Sesc Rio e vai para a sua 13ª temporada na equipe.

Jaqueline

No início da carreira, jogou quatro temporadas em Osasco, quando ainda era patrocinado pelo BCN. Após cinco anos de sua saída, retornou ao time osasquense em 2009 e permaneceu até 2013. Nesse meio tempo, foi bicampeã da Superliga, campeã do Mundial de Clubes e tetracampeã sul-americana.

Em 2019, após incertezas da continuidade da carreira na quadra, foi anunciada como novo reforço do time comandado por Luizomar de Moura para a temporada 2019/20.

Bruninho

Além de ter sido multicampeão no Brasil, também fez história na Itália. Entre três passagens jogando pelo Modena, o capitão da seleção foi campeão italiano, duas vezes campeão da Copa Itália e uma vez da Supercopa.

Sheilla

Revelada pelo Mackenzie, se transferiu para o vizinho Minas aos 17 anos. Ainda reserva, foi campeã da Superliga em 2002 e após quatro temporadas se transferiu para o italiano Pesaro. Aos 36 anos, depois de quase quatro anos vivendo um período sabático, voltou ao time mineiro em 2019.

Lucão

Depois de ser campeão brasileiro no RJX, se transferiu para o Sesi em 2013 e ficou por lá duas temporadas. Após uma breve passagem pelo Modena, onde foi campeão italiano ao lado de Bruninho, voltou ao time paulista em 2015, onde ficou dois anos.

Maurício Souza

Assinou com o Taubaté para a temporada 2014/15 e foi campeão paulista nesse ano. Em 2015, fechou com Campinas e foi vice-campeão da Superliga, pendo a final para o Cruzeiro de Leal e Wallace. Se transferiu para o Sesc Rio em 2017 e ficou até 2019.

Voltou ao clube do Vale do Paraíba na temporada 2019/20 e divide o meio de rede com seu companheiro de seleção, Lucão.

Monique

Entre 2011 e 2014, disputou a primeira temporada pelo Praia Clube. Se transferiu para o Rio de Janeiro em 2015, e após quatro temporadas na equipe comandado por Bernardinho, retornou à Uberlândia.

Michelle

Assim como a irmã gêmea Monique, também teve mais de uma passagem pelo Praia Clube. Entre 2012 e 2014, jogou pela primeira vez no time mineiro e após uma breve passagem pelo Brasília, voltou para jogar a temporada 2015/16 pela equipe de Paulo Coco.

Depois de passar pelo Fluminense, voltou ao Praia em 2018 e segue até hoje no interior de Minas Gerais.

LEIA MAIS

Sem Lucarelli, Trentino inicia pré-temporada 2020/21 na Itália