Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Deu certo! 5 jogadores brasileiros que mudaram de posição na Europa

Atletas deram certo e nunca mais voltaram para a posição de origem

Matheus Camargo
Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), colaborador do Torcedores.com desde 2016, radialista na Paiquerê 91,7.

Crédito: Divulgação/Bundesliga

Vários jogadores brasileiros acabam se encontrando de vez na carreira após passagem pela Europa. É comum que por lá ocupem outra função no gramado e brilhem como nunca pensaram antes de deixarem o Brasil.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes
https://www.facebook.com/TorcedoresOficial

Veja 5 jogadores que mudaram de posição na Europa – e nunca mais voltaram para a função de origem:

Mancini
O jogador saiu do Atlético-MG como lateral-direito e se transformou em um meia-atacante de qualidade no futebol italiano, onde fez sucesso na Roma e passou pela Inter de Milão. Retornou ao Brasil no fim da carreira e nunca mais foi defensor.

Michel Bastos
Lateral-esquerdo no Figueirense e no Athletico Paranaense, foi para a Europa e se transformou em um que brilhou com a camisa do Lyon. Chegou à Seleção Brasileira, mas Dunga cometeu a falha de escalá-lo na lateral, posição em que nunca mais atuou. Voltou ao Brasil para vestir a camisa 7 do São Paulo e agradou.

Zé Roberto
Lateral-esquerdo na Portuguesa vice-campeã brasileira de 1996, se transformou em um dos mais polivalentes meio-campistas da Europa no início dos anos 2000. Brilhou na função com as camisas de Bayer Leverkusen e Bayern de Munique. Foi titular da Seleção – como segundo volante – na Copa de 2006. Até voltou a ser lateral com a camisa do Palmeiras, mas já nos últimos anos da carreira.

Junior
Lateral-esquerdo titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1982 e ídolo do Flamengo, Junior foi para a Europa aos 30 anos para defender o Torino e se tornou um meio-campista de qualidade no clube italiano. Retorno ao Brasil para defender o Flamengo já próximo aos 40 anos e, já como meia, deu um Brasileirão ao clube, em 1992.

Gilberto
Lateral-esquerdo no Vasco, chegou à Europa em 2004 para atuar no Hertha Berlin e brilhou no clube, mas como um meia-armador. Foi mais um a ser levado à Copa do Mundo por Dunga como lateral, mas que já não fazia a função há anos. Nunca mais voltou ser defensor.

Leia mais:
Rei da grande área? Há 22 anos, Romário marcava golaço da intermediária e mostrava que era craque em qualquer lugar