Matuidi coloca Cristiano Ronaldo acima de Neymar, Mbappé e Ibra: “Ele é excepcional”

Francês elegeu Cristiano Ronaldo como o jogador mais extraordinário com quem jogou

Bruno Romão
24 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: bruno.romao.nascimento@gmail.com

Crédito: Divulgação - Juventus

Em entrevista ao jornal “L’Equipe”, Matuidi falou sobre sua transferência para o Inter Miami. Após vários anos atuando na Europa, o volante optou por aceitar a proposta do clube de Beckham, e irá ser mais uma das estrelas da MLS. Sendo assim, como jogou ao lado de vários craques na Juventus, PSG e seleção francesa, ele elegeu Cristiano Ronaldo como o melhor companheiro de time que teve.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

“Joguei com o Neymar, Kylian Mbappé, Antoine Griezmann, Zlatan Ibrahimovic e Cristiano Ronaldo. Todos fantásticos no que fazem. Se eu tivesse que escolher um, seria o Cristiano Ronaldo. Por tudo que ele fez na carreira e faz até hoje. Ele é excepcional. Ele sabe que está envelhecendo, mas vê-lo trabalhar do jeito que ele faz, com aquele espírito de querer sempre ser o melhor, nunca vi nada igual”, declarou.

Sobre a decisão de deixar a Juventus, Matuidi explicou que ter contraído coronavírus mudou sua percepção de como aproveitar a vida.

“O primeiro contato com o Inter Miami foi em dezembro. Na época disse que era muito cedo na minha carreira, porque os euros (salário) ainda estavam chegando e não tínhamos todos estes problemas de Covid. Do jeito que eu vi, obviamente ficaria na Juve. Quando eles me ligaram novamente em junho, o contexto havia mudado. Ficar em quarentena me fez perceber que precisava pensar em minha família e passar mais tempo com eles. Eu olhei para trás, para a minha carreira e pensei: o que mais eu estava procurando?”

“Ser um dos primeiros jogadores a testar positivo para o vírus me fez refletir sobre o sentido da vida. No início, me disseram que eu me recuperaria em algumas semanas, mas fiz dois, depois três testes, sempre positivos, o que provocou um certo pânico. Foi maravilhoso voltar ao campo. Tomei a decisão no início de julho e pedi aos dirigentes da Juventus que rescindissem o contrato um ano antes. Na época, eu não sabia que iríamos contratar um novo treinador”, contou.

LEIA MAIS