Lamar Jackson identifica motivo de ataque pouco produtivo do Ravens em 2020: “Estão prevendo nossas jogadas”

Para Lamar Jackson, ataque aéreo da franquia piorou em 2020; em 2019, Ravens teve a segunda melhor unidade ofensiva da temporada

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Twitter/Reprodução

A temporada 2019 foi impressionante para o Baltimore Ravens. A franquia da National Football League (NFL) foi a melhor da temporada regular. Em dezesseis jogos, foram catorze vitórias e apenas duas derrotas. Em 2020, entretanto, a maré parece ter mudado. Em apenas nove jogos, a equipe de Maryland já soma mais derrotas que no período anterior – a campanha, agora, é 6-3. Lamar Jackson, quarterback do time, falou sobre a situação.

O ataque é, para muitos, o principal motivo da queda do Baltimore Ravens. Em 2019, a equipe foi a segunda que mais conquistou jardas. Em 2020, até aqui, a equipe está, apenas, na vigésima segunda colocação em tal ranking. Lamar Jackson não deixou de criticar a própria equipe. “Eles estão prevendo nossas jogadas, sabem o que estamos fazendo. Então, às vezes as coisas não acontecem como gostaríamos porque eles conseguem nos vencer em algumas jogadas. Com certeza, às vezes eles já sabem que vamos correr, ou chamam atenção para determinadas coisas que são chave na jogada”, afirmou Lamar Jackson à NFL Network.

Sendo ainda mais específico

Na visão de Lamar Jackson, há um grupo de jogadores de ataque do Ravens, em especial, que precisa ser muito melhor. “O jogo aéreo precisa melhorar muito. Esses jogadores precisam receber a bola nas mãos, precisamos chamar as jogadas certas para que isto aconteça. Acredito que devemos melhorar o ataque”, finalizou Lamar Jackson.

LEIA MAIS
Chamado de “bonitão” por companheiro, experiente quarterback da NFL afirma: “Ainda tenho gasolina no tanque e posso fazer muito mais”
Torcedor que usou laser para atrapalhar Tom Brady na NFL é condenado a pagar multa e jamais entrará em estádio novamente
Nike cancela lançamento de tênis que tinha bandeira dos EUA ligada à segregação racial após protesto de ex-jogador da NFL