Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Vitória do Grêmio sobre o São Paulo tem o dedo de Renato Gaúcho (para o bem e para o mal)

Na coluna PAPO TÁTICO, Luiz Ferreira destaca os detalhes do primeiro jogo das semifinais da Copa do Brasil

Luiz Ferreira
Produtor executivo da equipe de esportes da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, jornalista e radialista formado pela ECO/UFRJ, operador de áudio, sonoplasta e grande amante de esportes, Rock and Roll e um belo papo de boteco.

Crédito: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Embora muitos pensem o contrário, a decisão dos treinadores à beira do gramado é diretamente responsável pela atuação das principais equipes de futebol do planeta. São pequenos detalhes que mudam a cara do jogo dentro de campo e que fazer a diferença em competições de todos os tipos. Incluindo a Copa do Brasil. Nesse sentido, é impossível não notar o “dedo” de Renato Gaúcho na vitória do seu Grêmio (por um a zero) sobre o São Paulo de Fernando Diniz nesta quarta-feira (23), em Porto Alegre. Para o bem e para o mal também. Assim que o treinador corrigiu seu equívoco na escalação inicial, o Tricolor Gaúcho cresceu na partida e conseguiu chegar ao único gol da partida com Diego Souza (em mais uma edição da chamada “lei do ex”). O confronto por uma vaga na decisão da Copa do Brasil ainda está aberto. Assim como o duelo entre Renato Gaúcho e Fernando Diniz na beira do gramado.

Muita gente se surpreendeu com a decisão de Renato Gaúcho ao escalar Thaciano pelo lado direito no seu 4-2-3-1 costumeiro. O objetivo era fechar mais o setor e auxiliar Victor Ferraz na perseguição a Igor Gomes, Gabriel Sara e Reinaldo. Embora o Grêmio marcasse forte e fosse mais direto no ataque (com as bolas longas de Matheus Henrique e Darlan para Pepê e Diego Souza), o São Paulo de Fernando Diniz (armado no 4-4-2) trabalhava melhor a bola e tentava chegar na área gremista na base das triangulações. O quarteto ofensivo do Tricolor Paulista começou a levar vantagem nos confrontos individuais no final do primeiro tempo apesar das poucas finalizações a gol. Mesmo com Thaciano qualificando o passe e armando o jogo a partir da direita, o Grêmio sentia muito a falta de um jogador de velocidade naquele setor. Principalmente com os avanços constantes de Reinaldo ao ataque.

As melhores notícias de esportes, direto para você

 

Gremio vs Sao Paulo - Football tactics and formations

Renato Gaúcho reforçou o meio-campo com Thaciano pelo lado direito, mas viu seu Grêmio perder velocidade nos contra-ataques. O São Paulo foi se encontrando aos poucos e ocupando o campo de ataque na base dos toques rápidos e das triangulações. Luan, Daniel Alves, Gabriel Sara e Igor Gomes faziam boa partida.

Os números do SofaScore indicam um maior domínio do São Paulo. O Tricolor Paulista teve 69% de posse de bola e finalizou onze vezes em toda partida (com apenas três delas indo na direção do gol de Vanderlei). Mesmo assim, o que se via (principalmente após o intervalo) era o crescimento de produção dos comandados de Fernando Diniz. Ainda mais com a queda no nível de intensidade na marcação no meio-campo. Luan, Daniel Alves, Gabriel Sara e Igor Gomes estavam em noite inspirada e criaram boas chances a partir das já bem conhecidas triangulações do escrete comandado por Fernando Diniz. Tanto que Brenner e Luciano perderam ótimas oportunidades de abrir o placar em Porto Alegre. Renato Gaúcho só foi corrigir o equívoco na escalação inicial aos 16 minutos do segundo tempo, com as entradas de Ferreira e Lucas Silva nos lugares de Thaciano e Darlan. O Grêmio seria outro time a partir daí.

Não que os dois estivessem fazendo uma partida ruim. A estratégia do treinador gremista passava pela forte marcação no meio-campo e nos contra-ataques em alta velocidade acionando Pepê e Diego Souza no comando de ataque. Só que faltava intensidade nessas transições. Intensidade que veio com o jovem Ferreirinha acelerando as jogadas pela direita em cima de Reinaldo. O camisa 47 não só preencheu bem aquele setor do campo. Ele também fez a jogada que resultou no único gol da partida. Com a vantagem no placar, Renato Gaúcho reorganizou sua equipe num 4-4-2 com as entradas de Éverton Cardoso e Churín nos lugares de Jean Pyerre e Diego Souza. Já Fernando Diniz tentou repetir a estratégia do jogo contra o Atlético-MG (com Tchê Tchê jogando mais avançado), mas viu o São Paulo desperdiçar boas chances e sucumbir diante da já bem organizada marcação do seu adversário em Porto Alegre.

Sao Paulo vs Gremio - Football tactics and formations

A entrada de Ferreirinha mudou o jogo a favor do Grêmio. O camisa 47 fez a jogada do gol de Diego Souza e ainda foi preocupação constante para Reinaldo no lado esquerdo do São Paulo. Fernando Diniz tentou colocar mais intensidade com as entradas de Tchê Tchê, Vítor Bueno e Toró, mas sem sucesso.

Impossível não notar que Renato Gaúcho foi infeliz na escalação de Thaciano pelo lado do campo, mas acabou rindo por último com a mexida precisa que devolveu competitividade ao Grêmio. Mesmo com um estilo mais pragmático, que finalizou muito pouco a gol e que lembrou demais os últimos confrontos contra o Internacional: equipe fechada e de olho nos contra-ataques em alta velocidade. Além disso, Renato sabe motivar seus jogadores como poucos no futebol brasileiro. Do outro lado, o São Paulo teve a posse da bola, criou bem mais chances do que o Grêmio, mas não conseguiu ser efetivo. Primeiro pelas falhas nas conclusões a gol (principalmente de Brenner e Luciano). De todos, apenas Luan (como volante e como zagueiro) e Daniel Alves mantiveram o nível das atuações durante toda a partida. A queda de rendimento do Tricolor Paulista após o gol de Diego Souza foi clara e nítida.

A vantagem mínima conquistada e tudo o que vimos na partida desta quarta-feira (23) indicam que veremos um Grêmio jogando na base dos contra-ataques e ainda mais fechado na sua defesa no jogo de volta das semifinais da Copa do Brasil. Já o São Paulo de Fernando Diniz terá que fazer muito mais do que apenas valorizar a posse da bola. Terá que transformar a superioridade em gols. O confronto segue completamente aberto.

LEIA MAIS ANÁLISES DA COLUNA PAPO TÁTICO:

São Paulo de Fernando Diniz joga o fino, amassa o Atlético-MG e segue tranquilo na liderança do Brasileirão

Preciso no ataque e seguro na defesa: Santos conquista bom resultado diante de um Grêmio sem muitas ideias