Casagrande detona atitude de Gabigol no Flamengo e PC aponta “escola do Neymar”

Comentaristas do ‘Bem, Amigos!’ criticaram uma possível provocação do artilheiro do Flamengo ao treinador Rogério Ceni após ser reserva para Pedro

Rafael Brayan
Apaixonado pelo estudo do esporte mais praticado no mundo.

Crédito: Alexandre Vidal/Flamengo

O atacante Gabigol (agora também chamado de Gabi) foi criticado nesta segunda-feira (11) durante o programa o “Bem, Amigos!”. O motivo dos comentários negativos foi a atitude do camisa 9 durante a primeira etapa do jogo contra o Ceará, em que foi poupado e ficou no bando de reservas.


Leia mais:

+ Flamengo faz reunião, debate demissão de Rogério Ceni e já cogita dois substitutos
+ Gabigol inventou lesão para curtir festas e causa problema no Flamengo, diz Léo Dias


De acordo com Casagrande, que defendeu o trabalho de Rogério Ceni na equipe rubro-negra, há problemas com as atitudes dos jogadores. “Não esqueça que, ontem, um dos principais jogadores do Flamengo, artilheiro do ano passado, foi para o banco sem chuteira e com camisa de treino.

“O juiz teve que ir lá e falar: ‘Põe a camisa de jogo’. Eu acho que o Rogério decepcionou, mas tem coisa ali dentro que não está funcionando porque jogador não quer. O comportamento do Gabigol é inadmissível”, comentou Casagrande durante o programa.

Na sequência, Paulo César Vasconcellos comparou as atitudes de Gabigol com as de Neymar. “O Gabriel me parece criado na ‘escola Neymar de mimos’, que é: ‘Eu não posso ser contrariado’. Então, ontem, ao ser colocado como reserva do Flamengo, ele quer mostrar toda a sua insatisfação. Ele quis e buscou um protagonismo. Por quê? Porque ficou irritado de ter sido sacado. Agora, isso é uma escola de mimos, e o Rogério vai ter que administrar”, afirmou PC.