Andrew Bogut é sucinto ao relembra NBA Finals 2015/2016: “Não conseguimos colocar a cereja no bolo, é uma droga”

Pivô do Golden State Warriors, Andrew Bogut se contundiu no Jogo 5 da final contra o Cleveland Cavaliers; equipe vencia por 3-1 e perdeu série por 4-3

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Twitter/Reprodução

O final da temporada 2015/2016 da National Basketball Association (NBA) foi histórico. Na revanche da decisão da temporada anterior, o Cleveland Cavaliers bateu o Golden State Warriors em sete jogos. O primeiro título da cidade de Ohio em major leagues desde 1964, capitaneado pro LeBron James, marcou, também, os derrotados. Andrew Bogut foi um deles.

A campanha do Warriors na temporada regular tornou-se histórica. Com 73 vitórias e apenas 09 derrotas, é o melhor recorde da história da fase de classificação. Sobre o vice-campeonato, Andrew Bogut não esconde a decepção. “Não conseguimos colocar a cereja no bolo e ninguém vai verdadeiramente falar da nossa temporada como um sucesso mesmo sendo histórica em números. A forma como ocorreu, as circunstâncias. Dê todos créditos a Cleveland. É uma droga”, disparou, em entrevista ao podcast House of Strauss.

Detalhes

Andrew Bogut se contundiu no quinto jogo da decisão. Em um dos momentos que marcaram a virada na final (Golden State abriu 3-1 e perdeu a série por 4-3), o australiano reconheceu o bom trabalho que fazia na sequência. “Eu sinto que estava fazendo uma ótima série de finais. Defensivamente eu estava jogando muito bem. Conseguia ter certeza que estava flutuando pelo garrafão e não deixava LeBron fazer cestas fáceis batendo para dentro e enterrando ou dando bandejas por cima de mim”, comentou.

Na visão do atleta, LeBron James respeitava a marcação feita pelo australiano. “Ou eu bloqueava o arremesso, chegando cedo e forçando uma tentativa um arremesso difícil ou uma jogada forçada, ou eu fazia várias faltas em cima dele. Eu sentia que tinha horas que ele ficava olhando para onde eu estava na quadra”, afirmou Andrew Bogut.

Além da lesão de Andrew Bogut, a ejeção de Draymond Green no Jogo 4 também é muito recordada quando se lembra daquela decisão. O australiano também comentou tal situação. “O momento das equipes mudou após esses lances. Essa é a beleza de uma série de sete jogos, certo?”, finalizou.

LEIA MAIS
Chamado de “bonitão” por companheiro, experiente quarterback da NFL afirma: “Ainda tenho gasolina no tanque e posso fazer muito mais”
Torcedor que usou laser para atrapalhar Tom Brady na NFL é condenado a pagar multa e jamais entrará em estádio novamente
Nike cancela lançamento de tênis que tinha bandeira dos EUA ligada à segregação racial após protesto de ex-jogador da NFL