Tite elege seleções mais fortes do mundo e aponta destaque: “Futebol muito mais bonito de assistir”

Treinador do Brasil falou sobre seleções que podem dar trabalho ao Brasil na Copa de 2022

Bruno Romão
24 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: bruno.romao.nascimento@gmail.com

Crédito: Lucas Figueiredo/CBF

Com a experiência de ter disputado uma Copa do Mundo, Tite está ciente dos perigos que o Brasil terá que lidar no torneio de 2022. Sendo assim, em entrevista à Fifa, o treinador avaliou quais são as melhores seleções do planeta na atualidade, acreditando que os times da América do Sul estão em desvantagem em relação aos europeus.

Diante disso, Tite ainda destacou a Itália, já que houve uma melhora no futebol praticado dentro de campo. Portanto, a Azzurra, que vem de altos e baixos nos últimos anos, busca retomar sua força após ficar fora do Mundial da Rússia.

“É difícil dizer. Depois da pandemia, não houve muitas oportunidades para as equipes mostrarem o que podem fazer. Brasil, Argentina, Colômbia tiveram muitas poucas chances. Os europeus jogaram oito vezes, quatro a mais do que nós. A Itália voltou jogando, para mim, um futebol muito mais bonito de assistir. Mancini fez um ótimo trabalho. Ele instalou uma escola de futebol como Arrigo Sacchi”

“Acho que eles têm um equilíbrio maior entre o jogo defensivo – caracteristicamente, historicamente pelo que são conhecidos – e o jogo ofensivo. A Bélgica ainda tem essa grande geração. Eles são uma grande equipe, têm grande talento individual e De Bruyne, um dos jogadores mais talentosos do mundo. A França também é muito forte”, declarou.

ELIMINATÓRIAS

Além disso, Tite também projetou a estreia do Brasil em 2021. Na próxima rodada das Eliminatórias, a Seleção vai encarar Colômbia e Argentina, jogos que prometem ser complicados.

“A competição é muito equilibrada. Os dois jogos contra a Colômbia nas últimas Eliminatórias foram, tecnicamente, os dois melhores jogos que disputamos. Ambas as equipes buscaram atacar, buscaram criar, criaram problemas para os adversários. Eles eram jogos muito equilibrados. Os dois jogos foram muito difíceis para nós. Os clássicos tradicionais – Brasil x Argentina, Brasil x Uruguai – têm um elemento histórico muito forte. E a Argentina tem ótimos jogadores. Para mim, Brasil contra Argentina, além de ser uma eliminatória da Copa do Mundo, é outra competição em si”, expressou.

LEIA MAIS