Conor McGregor se livra de acusação de suposta agressão sexual na França

Autoridades da Córsega não conseguiram evidências de que o irlandês teria cometido tais crimes, em caso ocorrido em setembro passado

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida.Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo parecido.

Crédito: Reprodução

Conor McGregor conseguiu ver mais um de seus problemas fora do octógono ser encerrado. O lutador do UFC não será processado pela justiça da Córsega (ilha pertencente à França localizada no Mar Mediterrâneo) por acusação de ‘agressão sexual’. A informação foi postada inicialmente pelo site TMZ.

De acordo com o site, a polícia da região não obteve provas e elementos para iniciar um processo contra o irlandês. No caso uma acusação feita por uma mulher durante a passagem do ‘Notorious’ pela região em setembro de 2020 para participar de um evento beneficente.

Na época, McGregor foi acusado de ‘atentado violento ao pudor’ e ‘agressão sexual’ pela suposta vítima. O lutador chegou a ser detido pela polícia corsicana, para depois ser liberado. A investigação correu até que a polícia da cidade de Bastia se manifestou nesta semana sobre o caso através de uma carta publicada pelo site.

“A investigação dos procedimentos presentes não justifica uma denúncia criminal pelo motivo de que, os fatos ou as circunstâncias dos fatos não puderam ser claramente estabelecidos pela investigação. As evidências obtidas, portanto, não são suficientes para a acusação constituir uma denúncia”, diz a nota.

O irlandês e seus representantes negaram as acusações, que motivaram o cancelamento de sua presença no evento. A porta-voz do ‘Notorious’, Karen Kessler, afirmou segundo o MMAFighting que provas de DNA cedidas pelo lutador comprovaram sua versão.

Em janeiro, Conor McGregor virou alvo de outro processo ligado a um caso de suposto estupro cometido pelo irlandês. Um processo judicial pedindo uma indenização milionária foi emitido por uma mulher que alega ter sido vítima de agressão sexual por parte do irlandês em dezembro de 2018, na Irlanda.

LEIA MAIS

Poirier diz que McGregor não doou para ONG do lutador; irlandês rebate