Salto alto? Diego revela jogo em que o Flamengo entrou com “confiança excessiva”

Camisa 10 do Flamengo não escondeu que o time já foi surpreendido algumas vezes dentro de campo

Bruno Romão
24 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: bruno.romao.nascimento@gmail.com

Crédito: Alexandre Vidal / Flamengo

Como o Flamengo vem acumulando títulos nos últimos anos, Diego avaliou se existe “salto alto” dentro do clube. Apesar dos bons resultados, o meia rechaçou que exista qualquer tipo de soberba no grupo, considerando que o Rubro-Negro possui o melhor plantel da América Latina. Mesmo assim, o camisa 10 não escondeu que, em alguns jogos, houve um certo excesso de confiança, e uma das partidas ocorreu no Carioca de 2020.

“Na minha opinião, o Flamengo tem o melhor elenco da América Latina, mas existe uma distância de ser campeão de tudo. Já estive em bons elencos que não ganharam nada. Se igualarmos a entrega, intensidade e humildade, mantendo isso sempre, essa qualidade vai fazer a diferença. A concorrência ela existe, independente da qualidade técnica dos jogadores do outro lado. O empenho do adversários para enfrentar o Flamengo é 100% para mais. Salto alto não (teve). Nós conversamos nos treinos, mas um excesso de confiança já aconteceu, achar que o jogo ia se desenhar mais fácil e foi ao contrário. Teve um jogo do Carioca (Portuguesa-RJ, em 2020, pelo Carioca) que ganhamos no último minuto (por 2 a 1) com gol do Arrascaeta. Esse foi um jogo que nós achamos que seria mais simples”, afirmou ao programa “Grande Círculo”.

ADMIRAÇÃO POR RONALDINHO GAÚCHO

Diego também comentou sobre algumas das estrelas que ele teve a oportunidade de estar em campo. Em relação aos adversários, ele destacou três nomes, e fez questão de eleger Ronaldinho Gaúcho, entre os companheiros de time, como o que mais lhe deixou impressionado.

“Enfrentei jogadores incríveis, o Ozil foi um deles, no começo da carreira dele já se notava algo diferente. O Messi e o Cristiano joguei contra, o Messi, em termos de beleza de como joga. Que jogou comigo, foi o Ronaldinho Gaúcho. O que ele fazia com a bola… Jogamos nas Eliminatórias, mas nas Olimpíadas treinávamos todos os dias, e a qualidade impressiona. A forma como ele trata a bola, levava alguns momentos para entender. É um jogador que eu admiro bastante”, contou.

LEIA MAIS