Alvo de reclamação de Renato, dirigente do Grêmio explica entrevistas pós-Del Valle e responde: “Tratei com respeito”

Vice-presidente gremista Cláudio Oderich evitou ampliar a polêmica com Renato Portaluppi envolvendo o Grêmio

Eduardo Caspary
Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Crédito: Foto: Reprodução/YouTube

A longa entrevista do técnico Renato Portaluppi no Bem, Amigos! da última segunda-feira ficou marcada por uma reclamação expressa a um dirigente do clube, que não teve o seu nome revelado, mas que tudo indicou se tratar do vice-presidente eleito, Cláudio Oderich.

Renato reclamou de “monte de besteiras” ditas depois da queda para o Del Valle na pré-Libertadores e ainda falou que esta pessoa, que seria Oderich, “não faz nada para o clube, só atrapalha” e que nunca conseguiria se tornar presidente do Grêmio

“Olha, eu acho que foi pra mim, né? Aquilo que ele colocou é da forma dele como ele enxerga. Se tu tiveres acesso às entrevistas que eu dei, não foi uma, foi pra quatro rádios naquela noite. Eu fui bem claro com relação à questão de reavaliarmos aquilo que estava acontecendo: a desclassificação. Acho que o Renato também não deve ter gostado da desclassificação”, disse o dirigente à reportagem do Torcedores.com em conjunto com o repórter David Paz, do Zona Mista, antes de acrescentar:

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

“Ele é nosso ídolo maior, sempre tratei ele com muito respeito, tivemos a relação muito respeitosa e de certo ele ficou magoado com aquilo que eu declarei que a gente estava em avaliação. Acho que (qualquer) técnico está sempre em avaliação. Eu não vou me manifestar mais do que isso, eu fui orientado a não me manifestar, não dar entrevista, então, deixa os dias passarem, dar uma acalmada e depois a gente fala como que as coisas aconteceram tudo direitinho”, encerrou.

O que disse Renato sobre a saída do Grêmio?

Renato deu a entender que as entrevistas dadas por Oderich depois da queda para o Del Valle, quando o dirigente se posicionou contra à permanência da comissão técnica, teria sido a gota d’água para a sua decisão de deixar o Grêmio:

“Muitas coisas foram faladas depois que o Grêmio foi eliminado do jogo da pré-Libertadores. Eu estava ainda me recuperando da Covid-19 e ouvi certas coisas de uma pessoa. Não vale a pena comentar, mas eu não gostei. Aí eu fui dormir. No dia seguinte, tocou o telefone. Era a minha esposa. E ela falou assim: arruma as malas e vem embora. Todo ciclo tem um início, meio e fim. Realmente, quatro anos e sete meses e eu não vou ficar aqui escutando umas coisas de uma pessoa que não faz nada pelo clube, não entende nada e fala um monte de besteira. Aí minha ficha caiu. Estou indo embora porque eu acho que na vida as pessoas têm que ter respeito pelas outras. Principalmente ídolos. E no momento que você tem uma pessoa no clube que não faz nada, pelo contrário, atrapalha, eu não vou ficar batendo boca”, colocou Renato.

Renato oficializou a sua saída do Grêmio exatamente no dia seguinte à queda para o Del Valle. Uma semana depois, o clube já estava sendo treinado por Tiago Nunes, atualmente com 100% em cinco jogos no comando do time.

LEIA MAIS:

Douglas Costa responde torcedor do Grêmio que mandou “aprender com Taison” sobre retornar ao Brasil

Maicon se irrita e ironiza suposta informação sobre os três salários mais altos do Grêmio: “Quanta besteira falam”

Siga o autor:

No Instagram

No YouTube