Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

CBF é questionada na Justiça sobre o veto ao número 24 na seleção do Brasil

Grupo Arco-Íris cobra um posicionamento formal da entidade sobre a seleção brasileira ser a única que disputa a Copa América sem nenhum jogador utilizando a camisa de número 24

Flavio Souza
Desde 2006 escrevo sobre esportes em geral e participo do site Torcedores.com desde dezembro de 2018, onde exerço função de Colaborador Sênior.Atualmente meu foco é no futebol brasileiro e internacional, mas procuro falar sobre outras modalidades, como esportes olímpicos, por exemplo.Procuro trazer informações relevantes sobre os clubes fora de campo, como entrevistas, análises financeiras, desempenho das equipes em redes sociais e análises táticas.

Crédito: Divulgação / CBF

No Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+ veio a público uma ação protocolada na Justiça, protocolada pelo Grupo Arco-Íris, na 10ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, endereçada à CBF. O grupo quer uma resposta da entidade que administra o futebol brasileiro, questionando por que a seleção brasileira não utiliza o número em suas competições oficiais. A informação foi divulgada inicialmente pelo ge.

Aniversário CLUBE EXTRA

Clique e veja as melhores promoções!

Em trecho da ação, o Grupo Arco-Íris cita que “o posicionamento de clubes e confederações de futebol é primordial no combate à homofobia, visto que desmotiva quem acha que o futebol é um espaço de intolerância onde se pode discriminar livremente. Assim, é inadmissível o retrocesso. A CBF tem papel preponderante neste debate. É dela a responsabilidade de mudar esta cultura dentro do futebol. Quando a CBF se exime de participar, a torcida entende que é permitido, que é aceitável, e o posicionamento faz com que, aos poucos, esta cultura mude”.

Questionamentos à CBF

A ação protocolada pede respostas da CBF em até 48 horas para as seguintes perguntas:

  • A não inclusão do número 24 no uniforme oficial nas competições constitui uma política deliberada da interpelada?
  • Em caso negativo, qual o motivo da não inclusão do número 24 no uniforme oficial da interpelada?
  • Qual o departamento dentro da interpelada, que é responsável pela deliberação dos números no uniforme oficial da seleção?
  • Quais as pessoas e funcionários da interpelada, que integram este departamento que delibera sobre a definição de números no uniforme oficial?
  • Existe alguma orientação da FIFA ou da CONMEBOL sobre o registro de jogadores com o número 24 na camisa?

Até o momento da publicação desta matéria, a CBF não tinha se posicionado sobre o assunto. Além disso, a entidade não respondeu questionamento do UOL neste sentido. Por hora, o único posicionamento foi esta postagem em homenagem ao Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, celebrado nesta segunda-feira (28).

LEIA MAIS:

Gabigol dobra tempo de jogo pela Seleção, mas sem protagonismo

Dirigentes da CBF disparam contra Caboclo em carta à federações

BID da CBF é sujeito a fraudes, aponta investigação da Polícia Civil