Pentacampeão, Cafu diz o que falta para a seleção brasileira “jogar como seleção”

Capitão na Copa do Mundo de 2002, Cafu analisou o atual momento da seleção brasileira após derrota para a Argentina

Rafael Brayan
Estudante de jornalismo. Colaborador especialista e editor-plantonista do Torcedores.Twitter: @rafaelbrayan_

Crédito: Alex Livesey/Getty Images

Nesta segunda-feira (12), o ex-lateral-direito Cafu falou sobre a derrota da seleção brasileira para a Argentina na final da Copa América, no estádio do Maracanã. Durante o programa “Arena SBT”, o capitão do pentacampeonato avaliou o momento da equipe comandada por Tite.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!


Leia mais: 

Róger Guedes, Paulinho e mais: Veja acordos que podem ser concretizados

VAR no Brasileirão: Veja os times mais “prejudicados” e “favorecidos”

Ceni causou crise após pedir atletas de Fortaleza, Cuiabá e Ceará; veja nomes


“Perder para a Argentina pode acontecer. Você perdeu para uma seleção de tradição, que já foi campeã, não perdeu para qualquer seleção dentro do Maracanã. Se perde para Peru, Venezuela ou Bolívia, com todo respeito a essas seleções, mas aí poderia falar que a seleção brasileira é um total desastre. Mas vejo a seleção com bons olhos”, disse.

“A seleção cometeu dois erros, e em um deles a Argentina fez o gol (com Di María). O outro foi na bola que Messi perdeu a passada, que saiu na cara do goleiro, no final do segundo tempo. Os dois únicos erros cometidos, e não teve capacidade de colocar a bola na rede da Argentina”, acrescentou Cafu.

No fim, o ex-lateral opinou sobre o que está faltando para a seleção brasileira. “É dependente do Neymar, é verdade. Dependemos quase que 80% do que o Neymar faz em campo. O Neymar vai ser bom se a seleção jogar para ele, e a seleção vai ser boa se o Neymar jogar para a seleção”, comentou o ex-jogador.

“Em 2002, jogávamos para o Ronaldo e para o Rivaldo, o (Ronaldinho) Gaúcho jogava para os dois também, cada um sabia o que fazer. Eu sabia que na Copa não ia ser melhor que eles, mas na minha posição eu ia ser o melhor. São pequenos ajustes para que a seleção possa jogar como seleção. Falta disciplina tática, só isso”, disse Cafu.