Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Tradicional franquia da MLB troca nomenclatura tida como racista: de Indians, surge o Cleveland Guardians

Tido como ofensivo aos ameríndios, franquia sempre teve a nomenclatura criticada; Cleveland Guardians faz homenagem a esculturas da cidade

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Twitter/Divulgação

Uma das trinta franquias da Major League Baseball (MLB) mudou de nome nesta sexta-feira (23). Após anos de polêmicas por conta do nome e, sobretudo, dos símbolos gráficos utilizados, o Cleveland Indians tornou-se Cleveland Guardians.

A nova nomenclatura da franquia de Cleveland foi revelada por meio das redes sociais da equipe, em um vídeo. Além da mudança para Cleveland Guardians, também foram revelados o logotipo e a nova tipificação (fonte utilizada):

A mudança gráfica, é bom destacar não foi das maiores. O esquema de cores segue o mesmo: azul, vermelho e branco – tal qual a bandeira dos Estados Unidos. As tradicionais fontes mais retas do antigo Cleveland Indians também sofreram alterações. Agora, o Cleveland Guardians terá uma apresentação textual com mais curvas e arestas.

Nome e efetivação

Apesar do Cleveland Guardians ter o novo nome revelado hoje, a franquia manterá o Indians até o final da temporada 2021. Tidos como ofensivos aos ameríndios, os símbolos nativos não são utilizados desde 2018. Terry Francona, atual head coach da franquia, já elogiou as mudanças; Donald Trump, ex-presidente dos EUA, é contra.

O novo nome surgiu para exaltar um dos principais monumentos de Cleveland. Trata-se das esculturas que ligam a Carnegie Avenue ao Progressive Field – estádio do agora Cleveland Guardians. Tais esculturas são popularmente conhecidas como “Guardians of Traffic” – Guardiãs do Tráfego, em tradução livre.

LEIA MAIS
Primeira general manager da MLB, Kim Ng afirma realizar um sonho: “É como alcançar as estrelas, não sabia que isso era possível”
Ex-quarterback da NFL, Tim Tebow revela sonho: “Jogar na MLB é algo que ainda está no meu coração”
Campeão da World Series, Dave Roberts fala sobre ser o único manager afrodescendente na MLB