Diniz defende titularidade de Pará no Santos de críticas: “Não posso ter o olhar do torcedor”

Lateral-direito do Peixe vem sendo bastante criticado pela torcida e foi assunto abordado na coletiva pós-empate com o Red Bull Bragantino

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida.Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo parecido.

Crédito: Foto: Ivan Storti/Santos FC

O Santos conseguiu nos minutos finais arrancar um empate por 2 a 2 com o Red Bull Bragantino na noite deste domingo (18), pelo Campeonato Brasileiro. Mas não apenas o resultado foi discutido por Fernando Diniz na coletiva pós-jogo e sim outros assuntos. Um deles as críticas feitas ao lateral-direito Pará.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

A titularidade de Pará no Peixe segue indiscutida, mesmo com o jogador sendo alvo de críticas de torcedores por erros em partidas recentes do Alvinegro Praiano na temporada. Diante de perguntas sobre pedidos sobre a saída deste para a entrada de Madson, o treinador prontamente defendeu suas decisões.

“O Madson é um grande jogador, mas eu tenho o olhar técnico. Não posso ter o olhar do torcedor. O Pará fez um jogo bom contra o Independiente (na Copa Sul-Americana) e falhou naquele lance que estava impedido só. Não posso aqui agir com emoção. Faz 15 anos que o Pará só joga em times grandes. O torcedor está aí para torcer e eu para escalar”, afirmou Diniz.

O comandante santista seguiu com sua defesa do lateral, afirmando que mudanças bruscas por críticas vindas da torcida podem prejudicar, a seu ver, o desenvolvimento em campo do Peixe na temporada. Diniz reiterou que não irá montar sua equipe se baseando somente nos desejos do torcedor quanto a entrada ou saída de atletas.

“Coloco o Pará porque ele é o melhor para o Santos. Se eu colocar o Madson e a torcida achar que eu tenho que trocar, não terei o Madson e nem o Pará. O torcedor era contra o Camacho e ele vem jogando muito bem. Não podemos montar um time olhado só para o torcedor, embora ele seja muito importante”, declarou.

LEIA MAIS

Mercado da bola: Lateral deixa o Corinthians e acerta com o Santos