Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Fórmula 1: Chuva atrapalha e GP da Bélgica tem corrida de apenas 4 voltas

Condições climáticas impedem reinício de prova no GP da Bélgica e prova tem fim decretado por comissários da Fórmula 1

Rico Chermont
Gestor Esportivo | Sport Management Fala sobre #esportes, #experiencia, #sportsmanagement, #gestãoesportiva e #marketingesportivoPresidente MiniFootball Brasil Presidente Pan American Minifootball Federation CEO na Chermont BR Company CEO na ChBR Advertising CEO na ChBR Sports

Crédito: Max Verstappen vence GP da Bélgica, mesmo sem corrida completa.

Depois de um breve período de férias, os pilotos da Fórmula 1 voltaram a competir no GP da Bélgica, neste final de semana. Mas nem tudo aconteceu como esperavam. Por conta das fortes chuvas, que não deram trégua, a corrida teve um atraso de mais de 3 horas para sua largada e seu fim decretado apenas 4 voltas depois dos carros entrarem na pista.

O Circuito de Spa-Francorchamps teve de tudo um pouco. A direção da prova tentou esperar até o último minuto para tentar viabilizar a prova, mas não foi possível. Com isso, o resultado foi praticamente definido pela classificação inicial. Só não terminou exatamente igual, pois na primeira volta de apresentação, Sérgio Perez saiu da pista e bateu seu carro contra o muro de proteção. Assim, com os atraso, a equipe da RedBull conseguiu consertar seu carro e por regulamento, Sérgio poderia largar dos boxes. Ele, que tinha se classificado em 7º lugar, acabou ficando com o 20º lugar.

Após mais de 3 horas de espera, a direção da prova autorizou a relargada, porém com SafetyCar. Para esses casos, seriam necessárias 3 voltas completas para que a corrida fosse validada e pudessem interromper a prova. E foi exatamente isso que aconteceu. Max Verstappen, que conseguiu a pole position nos treinos de classificação, largou logo atrás do carro de segurança.

SURPRESA BOA

A surpresa do GP da Bélgica, George Russel, que conseguiu largar na 2ª colocação, teve seu dia de glória. Após 13 minutos de prova e quatro voltas completadas, a bandeira vermelha foi acionada novamente e com isso, os pilotos voltaram para o pit lane. Logo após, ficou decidido que a prova não seria realizada e com isso, finalizada. A posição dos pilotos no grid determinaram o resultado. Assim, George Russel, piloto da Williams, conseguiu, pela primeira vez, subir ao pódio da Fórmula 1. Ele ficou com o segundo lugar e levou pra casa seu primeiro troféu. Lewis Hamilton, piloto da Mercedes, completou o pódio.

PONTUAÇÃO PELA METADE

A paralisação do GP da Bélgica também trouxe uma situação inusitada. Com a paralisação da prova, o regulamento prevê que o resultado é definido pela posição dos pilotos na hora da paralisação e com isso, a pontuação é válida somente pela metade. Assim, Max Verstappen, vencedor da corrida, ganhou apenas 12,5 pontos, ao invés dos 25 pontos tradicionais. Mesmo assim, Max encostou em Lewis Hamilton na briga pelo título e está apenas três pontos atrás.

Hamilton lidera com 202,5 pontos, enquanto Max tem 199,5 pontos. Lando Norris, com 113 pontos, Valtteri Bottas, que tem 108 pontos, e Sergio Pérez, que soma 104 pontos, não pontuaram hoje, e permaneceram em terceiro, quarto e quinto lugar respectivamente.

 

LEIA MAIS:

Mariana Becker rouba a cena durante chuva antes do GP Bélgica 2021: “Impressionante o trabalho”

GP da Holanda: Organizador pede respeito de torcida a Lewis Hamilton na Fórmula 1

Fórmula 1: Medalhistas Olímpicos e Campeões da Euro ganharão homenagem no GP da Itália

Fórmula 1: Grande Prêmio do Brasil pode ter Sprint Race como prova de classificação