Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Paralimpíadas: Brasil fecha 1º dia em sétimo no quadro de medalhas; Austrália lidera

Natação impulsiona tanto a posição do Brasil quanto o sucesso australiano à frente da favorita china

Fernando Cesarotti
Jornalista, professor universitário e fã ardoroso de qualquer esporte. Autor do OlimpCast, podcast sobre esportes olímpicos.

Crédito: Gabriel Bandeira ganhou o primeiro ouro do Brasil nas Paralimpíadas de Tóquio-2020 - Foto: Naomi Baker/Getty Images

O Brasil fechou o primeiro dia das Paralimpíadas de Tóquio-2020 em sétimo lugar no quadro de medalhas. O resultado se deveu às quatro medalhas conquistadas pela natação:

Os resultados mantêm o país na meta do Comitê Paralímpico Brasileiro para a competição. A entidade não fala em número de medalhas, apenas em “manter o Brasil na elite”, ou seja, entre os 10 primeiros colocados. Vale lembrar que o Brasil ficou em sétimo em Londres-2012, e foi oitavo no quadro no Rio-2016.

Austrália no topo

A natação também impulsionou a Austrália, que fechou o dia na liderança, superando a favorita China. São 6 medalhas de ouro, 1 de prata e 3 de bronze. Foram duas de ouro no ciclismo de pista, e as demais todas obtidas na piscina.

Confira o quadro de medalhas completo no site oficial

Os chineses vêm em segundo puxados pela esgrima. O país venceu as quatro medalhas de ouro em disputa nesta quarta-feira, e ainda somou mais uma na natação, com Zhang Li, nos 200m livre feminino classe S5. A China ainda tem uma medalha de prata, no ciclismo, e duas de bronze, também na esgrima.

Comitê Paralímpico Russo, Itália, Ucrânia e Grã-Bretanha completam a lista dos seis primeiros, antes de presença do Brasil. Neste primeiro dia, 24 nações já foram representadas no pódio.

LEIA MAIS:

Paralimpíadas: Brasil perde para os Estados Unidos na estreia do goalball feminino

Paralimpíadas: Israel Stroh sua e Rauen ‘atropela’ turca no tênis de mesa