Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Foi irregular? Polícia investiga Cruzeiro pela contratação de Arrascaeta

Cruzeiro está sendo investigado pelas negociações envolvendo o uruguaio Arrascaeta, que foi para o Flamengo em 2019

Mário André Monteiro
Jornalista com passagens por Portal iG, Fox Sports e Osasco Audax. Atualmente editor do Alemanha FC (http://www.alemanhafc.com.br). No Twitter: @alemao_mario e no Instagram: @marioalemao

Crédito: CBF / Twitter

Com uma campanha bastante irregular na Série B do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro vive mais um drama fora de campo. O clube mineiro virou alvo de um novo inquérito da Polícia Civil de Minas Gerais para apurar possíveis irregularidades em negociações envolvendo a Raposa.

Aniversário CLUBE EXTRA

Clique e veja as melhores promoções!

Segundo o GE.com, as autoridades suspeitam que os valores pagos nas comissões, transferência, renovação e venda do meia uruguaio Giorgian De Arrascaeta, hoje no Flamengo, foram realizadas para beneficiar dirigentes da época e empresários, com apuração se houve prática de formação de organização criminosa e apropriação indébita.

Além do negócio com Arrascaeta, também estão na mira da Polícia Civil outras contratações entre 2018 e 2019. Outro nome divulgado foi o de Orejuela, atualmente no São Paulo. As comissões superam R$ 12 milhões.

As investigações são desdobramento do primeiro inquérito que culminou no indiciamento de sete pessoas, em novembro de 2020.

Entenda o caso de Arrascaeta

Uma denúncia motivou o início das investigação sobre a contratação de Arrascaeta pelo Cruzeiro. Foram citados como investigados o empresário André Cury, a empresa da qual é sócio (Link Assessoria Esportiva e Propaganda Ltda), o ex-presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, e o ex vice-presidente de futebol, Itair Machado.

André Cury foi responsável pela venda do uruguaio do Defensor ao Cruzeiro, em 2015, e também no negócio de 2019, na saída do jogador do Cruzeiro para o Flamengo. O agente atuou como intermediário e com aval do Cruzeiro.

Em 2015, o Cruzeiro se comprometeu a transferir 10% do valor de uma futura venda de Arrascaeta a André Cury, mesmo que ele não participasse do negócio. Além disso, deu exclusividade à Link Assessoria de representar o clube em negociação do jogador.

Já em 2016, as duas partes assinaram um novo termo. Nesse ajuste de pagamento de comissão, o clube confessou ter prometido pagar R$ 1,6 milhão pelos serviços de “assessoria e corretagem” no momento da contratação de Arrascaeta, em 2015. Desse valor total, R$ 910 mil já haviam sido quitados.

Os R$ 570 mil restantes foram parcelados em 10 vezes entre fevereiro e dezembro de 2017. O contrato é assinado por Gilvan de Pinho Tavares, presidente do Cruzeiro na ocasião, e André Cury.

Em 2019, Arrascaeta deixou o Cruzeiro e foi para o Flamengo. O clube carioca pagou 18 milhões de euros (R$ 76,5 milhões na época), sendo 13 milhões de euros (R$ 55,3 milhões) ao Cruzeiro por 50% dos direitos. O restante iria para o Defensor, do Uruguai, que negociou 25% dos direitos econômicos, ficando com outros 25%.

Na negociação que levou o meia uruguaio ao Flamengo, André Cury teria direito a R$ 4,2 milhões. De acordo com o GE.com, o empresário foi quem representou o Cruzeiro durante o processo de contratação, em janeiro de 2019, com o Defensor.

O restante dos 10% do valor que André Cury tinha direito na venda de Arrascaeta foi cobrado do Cruzeiro por meio de notificação extrajudicial, no mês de maio de 2020.

O clube mineiro fez o repasse dos R$ 1,2 milhão da venda do meia Maurício ao Internacional e ainda estabeleceu no contrato que parte de uma venda futura dos 40% do jogador ficaria com a Link Assessoria, até o valor máximo de 321 mil euros. Assim, a dívida do Cruzeiro por Arrascaeta seria quitada.

LEIA TAMBÉM

VÍDEO: Jogador é expulso após derrubar torcedor que invadiu o gramado

FIFA 22: veja os melhores jogadores brasileiros do game; Neymar lidera

Narrador aponta possível dificuldade do sucessor de Tite na Seleção

Técnico de rival do Flamengo na Libertadores busca chance no Brasil

Funcionária da CBF que acusa Caboclo de assédio desabafa sobre caso: “Uma dor que nunca acaba”

As melhores notícias de esportes, direto para você