Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Djokovic não deve jogar Australian Open, diz o pai: “É chantagem”

Número 1 do ranking mundial, Novak Djokovic só poderá competir no Grand Slam australiano caso tome a vacina contra Covid-19

Álvaro Logullo Neto
24 anos, formado em Jornalismo pela Universidade de São Paulo e, desde 2021, redator de esportes no Torcedores.com. Por aqui, um pouco de tudo: tênis, basquete, NFL, Fórmula 1, esportes olímpicos e Fiorentina... digo, futebol!

Crédito: Reprodução / Twitter: @tennis_photos

Ainda há suspense com relação à participação (ou não) de Novak Djokovic na próxima edição do Australian Open. Nove vezes campeão do torneio, o sérvio se tornaria, sozinho, o maior vencedor de grand slams na história caso vencesse mais um título em 2022. Ele teria 21 conquistas, à frente de Roger Federer e Rafael Nadal, com 20. No entanto, por conta dos protocolos de saúde da Austrália, Djokovic pode acabar perdendo essa oportunidade.

Isso porque a organização do Aberto da Austrália só aceitará a participação no torneio de tenistas que tenham se imunizado contra a Covid-19. O tenista sérvio, porém, jamais se revelou se tomou a vacina. Além disso, já deu declarações de que não concorda com a obrigatoriedade de se imunizar. Agora, quem apimenta ainda mais essa polêmica é Srdjan Djokovic, pai de Nole e colecionador de inúmeras falas controversas nos últimos anos.

Em entrevista ao site sérvio B92, Srdjan afirmou que acha ‘improvável’ a ida do filho a Austrália: “No que diz respeito às vacinas, é direito pessoal de cada um de nós sermos vacinados ou não. Ninguém tem o direito de entrar em nossa intimidade. Sob essa chantagem e essas condições, [Novak Djokovic] provavelmente não vai jogar. Eu não jogaria. Mas ele é meu filho e decide por si só”.

Djokovic barrado na Austrália?

Apesar de achar que Nole não vai jogar na Austrália, Srdjan reitera o desejo do filho de buscar o tetracampeonato seguido da competição. Ele ainda atacou o diretor do torneio, Craig Tiley, em função da lista de vacinas aceitas pela organização. O pai do número 1 do mundo não entende por que o imunizante Sputnik, feito na Rússia, não é reconhecido. De qualquer maneira, ainda resta a dúvida sobre a participação de Djoko no grand slam.

Perguntado sobre a questão, o sérvio foi sucinto ao dizer “veremos”. Discutiu-se anteriormente a possibilidade de permitir que tenistas NÃO vacinados pudessem jogar caso cumprissem quarentena no país. Entretanto, autoridades australianas, junto da organização, decidiram vetar essa opção. Djokovic foi campeão do Australian Open em 2008, 2011, 2012, 2013, 2015, 2016, 2019, 2020 e 2021. Caso não jogue em 2022, está será apenas a segunda vez que o sérvio não participará de uma edição de grand slam desde o início da carreira, em 2006. A outra ausência ocorreu no US Ope de 2017 devido a uma lesão.

LEIA MAIS:

Federer desabafa sobre ‘fim próximo’ de carreira e revela seu maior sonho

Nadal fora do ATP Finals: 3 fatores que explicam a ausência do espanhol do top 8 mundial

Rio Open: dois top 10, medalista olímpico e sensação já foram confirmados na próxima edição

Lenda entre cadeirantes, dono de ‘Golden Slam’ anuncia aposentadoria aos 30 anos: “É a vez da próxima geração”

Gustavo Gómez, do Palmeiras, é alvo de gigante sul-americano para 2022

Mundial de Clubes FIFA 2021: Sorteio define tabela da competição

FIFA anuncia os indicados ao Prêmio Púskas 2022: veja todos os gols

10 jogadores da Série B que seriam bons reforços na Série A

Brasileirão Série A 2021: confira a tabela completa do campeonato

Brasileirão Série B 2021: confira a tabela completa do campeonato