Diretor de futebol responde críticas da torcida do Atlético-MG

Contestado por torcedores, dirigente do Atlético diz que função do executivo não é apenas baseada em contratação

Eder Bahúte
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Bruno Cantini

Desde abril de 2019 no Atlético-MG, o diretor de futebol Rui Costa ainda não goza de prestígio do torcedor alvinegro. Contratações contestadas e demora no fechamento de algum acordo, como a questão do novo técnico estão entre as principais críticas. No último dia 9, esteve presente para a apresentação do volante Allan. Caso o martelo não fosse batido, o termômetro das redes sociais apontava para mais questionamentos.

Cartão de crédito sem anuidade? Abra sua conta Meu BMG agora!

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Eu já sabia que o Allan iria desembarcar aqui. Em nome do bem do Atlético, do torcedor, eu tive que suportar toda essa ‘porrada’ e ficar em silêncio para não perder o jogador”, declarou.

Acompanhe as notícias do seu time pelo Facebook

“Cheguei no meio de uma temporada, que era um momento difícil do clube. Fiz o máximo, sempre o máximo, como devo fazer, como profissional pago. Não quero prestígio pessoal. Não vivemos de contratação. O trabalho do executivo não é só contratar. Sou responsável por uma centena de pessoas.  Na dificuldade econômica, quem dá a cara a bater é o executivo. Você tem que controlar orçamento e reestruturar a equipe, e isso é complicado. Em quatro meses de Atlético, estava sendo criticado como se tivesse há quatro anos“, completou.

Você pode ganhar uma camisa comemorativa exclusiva! Abra a sua conta meu BMG Galo!

Rui aponta para a importância dos títulos para a mudança de comportamento do torcedor. “A melhor maneira de conquistar prestígio é ganhando. Um Mineiro, um Brasileiro. Desde que cheguei ao Atlético, vejo que existem profissionais que se dedicam ao clube todos os dias. Nem sempre a vitória chega e, há muito tempo inclusive, ela não vem para nós. Se tivéssemos ido à final da Sul-Americana e a conquistado, talvez a conversa seria outra hoje”, disse.

Lucas Hernández

Contratação mais cara de 2019, o lateral-esquerdo veio com a expectativa de ser o dono da lateral-esquerda, já que o titular Fábio Santos não apresentava a mesma regularidade. No fim, o uruguaio pouco jogou e terminou o ano na reserva.

“Talvez se o Lucas Hernández tivesse atuado em mais jogos, escalado pelos treinadores que passaram por aqui, falaríamos dele de uma forma diferente. Mas eu não me eximo de ter errado”, avaliou Rui.

LEIA MAIS:

Caso Allan: Vice do Atlético-MG rebate ameaças do presidente do Flu

Veja fotos da camisa do Galo com o novo patrocinador