Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Veja quatro boleiros que são verdadeiros “bad boys”

Romário, Edmundo e Balotelli são alguns dos “bad boys” do mundo do futebol

Joao Pedro Salles Faria
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução

Nesta quinta feira, 30, estreia o filme “Bad Boys Para Sempre”. O sucesso de bilheteria conta a história de dois policiais rebeldes e que não têm o melhor comportamento. Mas não é somente no cinema que têm os seus “bad boys”, o futebol também.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

Siga o Torcedores também no Instagram

Romário é um dos maiores jogadores da história do futebol brasileiro e também é um dos maiores “bad boys”. Ao longo da carreira, o Baixinho colecionou polêmicas.

Uma das suas maiores polêmicas foram as constantes brigas com Edmundo. Os dois atacantes viveram momentos conturbados no Vasco.

Os dois jogadores até que tiveram boa relação no Flamengo e chegaram até a cantar o chamado “rap dos bad boys”, mas no Vasco as coisas mudaram. Depois da braçadeira de capitão que pertencia a Edmundo ser a passada a Romário (na época recém chegado ao clube) a relação entre os dois passou a ser conturbada.

Depois de Edmundo chamar Eurico Miranda de “Rei” e Romário de “Príncipe”, o Baixinho revidou e disse: “A corte está toda feliz, o rei, o príncipe e o bobo”, se referindo a Edmundo como um bobo da corte.

Além das declarações polêmicas, Romário chegou a brigar fisicamente diversas vezes, tanto dentro de campo quanto fora. Uma das mais famosas brigas do Baixinho foi com um torcedor do Fluminense em 2003, durante um treino torcedores foram protestas nas Laranjeiras e atiraram galinhas vivas no gramado. Após o treino Romário subiu até as arquibancadas e trocou socos com um torcedor.

Romário tem uma infinidade de declarações marcantes, mas uma que exemplifica bem toda a sua marra. “Quando eu nasci, papai do céu apontou o dedo e disse: esse é o cara”, declarou o Baixinho depois de marcar o gol da vitória do Fluminense por 1 x 0 em uma partida do Brasileirão de 2003.

Balotelli

O italiano de 29 anos é outro “bad boy” do futebol. Mario Balotelli coleciona polêmicas ao longo de sua carreira, a primeira grande delas foi na temporada 2008/2009 quando atuava pela Inter de Milão. O atacante foi a um programa de televisão vestindo a camiseta do Milan, arquirrival da Inter.

Depois de sair da Inter de Milão, Balotelli foi jogar no Manchester City, e na Inglaterra as polêmicas continuaram. Em uma partida pela Liga Europa, o atacante chutou o peito de um adversário e foi expulso. Outra polêmica de Balotelli no City foi em uma partida amistosa contra o Los Angeles Galaxy. Ele chegou cara a cara com o goleiro e se virou de costas e tentou marcar o gol de calcanhar, mas a jogada não deu certo e enfureceu o técnico Roberto Mancini que imediatamente o tirou de campo.

Balotelli também coleciona episódios polêmicos fora de campo. Durante a sua passagem pelo Manchester City, o atacante se envolveu em confusões em bares da Inglaterra. Além disso ele incendiou a própria casa depois de soltar fogos de artifícios no banheiro. Outro episódio polêmico do atacante fora de campo foi quando pagou € 2 mil para um funcionário de um restaurante se jogar no mar com uma moto e somente de cueca.

Apesar de toda a sua rebeldia dentro e fora do gramado, Mario Balotelli é um dos principais nomes do futebol mundial na luta contra o racismo. O italiano já viveu diversas situações de discriminação dentro e campo e fora. Ele já disse que se deve “isolar” pessoas racistas e “denunciar” todas as formas de discriminação.

Edmundo

Já citado acima, o atacante é um dos jogadores com mais fama de “bad boy” do futebol brasileiro. Além das brigas com Romário, o “Animal” teve diversas outras polêmicas ao longo da sua carreira.

Em 1994, Edmundo acertou um soco no lateral André Luís em um clássico entre Palmeiras e São Paulo. O atacante defendia o Alviverde na ocasião, e o soco deu início a uma briga generalizada.

Outra atitude polêmica de do “Animal” foi a rebolada em cima do marcador Gonçalves, em 1997 vestindo a camisa do Vasco. Edmundo pegou a bola na lateral do campo e rebolou contra Gonçalves, zagueiro do Botafogo.

Fora de campo Edmundo também causou. Em 1999 durante uma festa de aniversário de um de seus filhos, o ex-jogador e hoje comentarista do FOX Sports deu cerveja a um macaco e foi acusado por várias ONGs (organizações não-governamentais) de proteção aos animais.

Um dos episódios mais marcantes da vida de Edmundo foi após de sair de uma boate do Rio de Janeiro. O ex-jogador se envolveu em um acidente de carro que vitimou três pessoas. Edmundo acabou condenado a quatro anos e meio de prisão por homicídio culposo em regime semiaberto.

Eric Cantona

O francês Eric Cantona foi um dos maiores “bad boys” do mundo e talvez o maior da história do futebol inglês. Dono de um belo futebol, o atacante encantou com a bola nos pés e tornou um grande ídolo do Manchester United.

Cantona recebeu diversos apelidos ao longo da carreira, um deles foi “the bad boy”. O ex-jogador era dono de um temperamento explosivo e colecionou polêmicas por diversos clubes e pela seleção francesa.

A primeira de suas polêmicas foi logo no início da carreira, atuando pelo  Auxerre da França. Em um dia de nevasca os atletas do clube estavam removendo a neve do gramado, mas o goleiro Bruno Martini se recusou a ajudar e desdenhou dos companheiros. A atitude foi o estopim para Cantona que partiu para cima de Martini e o acertou com um soco.

Depois de boa passagem pelo Auxerre, o atacante foi vendido ao Olympique Marseille e por lá também causou confusão. Durante um amistoso contra a equipe russa do Torpedo Moscou ele foi substituído e acabou chutando uma bola contra os torcedores adversários, tirou a camisa e jogou contra o árbitro. Como punição Cantona foi afastado do elenco por um mês.

Em sua passagem pelo Nîmes, Cantona atirou a bola contra o árbitro. A princípio ele recebeu um mês de suspensão, mas durante audiência disciplinar ele chamou um dos presentes de idiota e acabou punido com mais dois meses de suspensão.

No ano de 1992, Eric Cantona chegou ao Manchester United, e logo no ano de estreia já foi campeão inglês com a equipe. No ano seguinte conquistou o bi, mas a passagem do francês não ficou marcada somente pelos títulos. Na temporada de 1995, Cantona protagonizou uma das cenas mais marcantes da história do futebol, o “chute kung-fu”.

No segundo tempo da partida contra o Crystal Palace, Cantona foi expulso. Na saída do campo, o francês saiu correndo em direção as arquibancadas e acertou uma voadora em Matthew Simmons, torcedor do Palace.

LEIA MAIS 

Jucilei e mais: 5 jogadores que desdenharam de outros clube

Allan Abi Madi: Mercado mostra um Flamengo ‘europeu’ em outro patamar