Tite exalta Neymar e diz que “melhor do atacante” só ficou abaixo de Messi e CR7

Atacante perdeu os últimos jogos com o PSG por conta de uma lesão na costela, e deve voltar para embate importantíssimo contra o Borussia, pela Champions

Cido Vieira
Jornalista em formação, e apaixonado por futebol desde criança. No Torcedores.com, trabalho como setorista do Botafogo e futebol nordestino

Crédito: Divulgação - CBF

Presente em uma palestra de treinadores em Bilbao, na Espanha, o técnico Tite fez questão de rasgar elogios ao seu camisa 10 na Seleção Brasileira, o atacante Neymar. Segundo o comandante canarinho, as lesões foram os únicos motivos para a irregularidade do atleta em campo, e que quando o jogador vivenciou sua melhor fase na carreira só ficou abaixo de outros dois craques do futebol mundial: Cristiano Ronaldo e Messi.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva! Siga o Torcedores também no Instagram

“O baixo de nível do Neymar foi muito mais pelas lesões que ele teve do que por qualquer outra situação. Em condições normais, para mim, ele é top 3. O maior Neymar que vi jogar só esteve abaixo de Cristiano Ronaldo e Messi. Hazard jogou muito, mas não o vi chegar a esse ponto. De Bruyne é extraordinário, mas não o vi chegar a esse nível”, pontuou Tite, elogiando também a criatividade do atacante do PSG.

“A capacidade criativa que ele tem no um-contra-um é muito grande, esses detalhes são clínicos e trazem o amadurecimento, a maturidade pessoal também irá ajudá-lo”.

Acompanhe as notícias do seu time pelo Facebook

Tite ainda destacou que diferentemente da impressão que se tem, o trabalho com o atacante é muito tranquilo nos bastidores.

“Pelas redes sociais tem-se a impressão de que ele é assim. Mas há a outra [faceta] que é o bastidor, fora da imprensa, o dia a dia. É muito tranquilo e muito fácil trabalhar com ele”, concluiu o comandante da Seleção Brasileira.

A estreia do Brasil nas Eliminatórias para a Copa do Mundo do Qatar ocorre no dia 26 de março, na Arena de Pernambuco, diante da Bolívia.

LEIA MAIS: