Comentarista critica declaração de presidente do Atlético sobre redução salarial

 

Eder Bahúte
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Bruno Cantini/CAM

O Atlético-MG anunciou ontem a redução de 25% do salário dos jogadores, diretoria e comissão técnica por conta da pandemia do coronavírus. Presidente do clube, Sérgio Sette Câmara disse hoje que aquele que se mostrar insatisfeito frente a medida será demitido.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

“Primeiro lugar, eu penso em defender o clube, eu não fico muito preocupado se o atleta chiou ou não chiou, se o funcionário chiou ou não chiou. Se alguém tiver insatisfeito, pode me comunicar que a gente faz o desligamento, não tem problema nenhum. O que eu tenho que defender em primeiro plano é o Clube Atlético Mineiro”, disse na Rádio 98FM.

O jornalista e comentarista dos canais ESPN Brasil, Mauro Cezar Pereira fez duras críticas ao modo tratado pelo mandatário do Atlético.

“Acho muito questionável pois os dirigentes do futebol brasileiro, salvo algumas exceções, eles não são exemplos de gestão. Muitos não cumprem seus compromissos financeiros com os atletas, funcionários, muitos não pagam a outros clubes quando contratam outros jogadores, fica devendo, aí vai para a justiça, para na Fifa…E de repente na primeira crise fala em cortar salário, quem quiser que se vire…não é bem assim. É necessário bom senso e diálogo. Qualquer decisão como essa tomada de forma unilateral eu acho errado. Você não pode reduzir o salário das pessoas simplesmente alegando a pandemia. Claro é uma situação grave, mas deve ter diálogo, principalmente diante daqueles que ganham pouco”, disse durante o Linha de Passe.

“Os patrocinadores do Atlético irão reduzir em 25% do que eles pagam? As empresas do Atlético podem reduzir então? Se eu fosse patrocinador então eu teria direito de fazer o mesmo. Será que só vale para um lado? Acho isso um negócio muito perigoso. Eu quero ver o presidente bancar isso se grandes nomes do elenco se rebelarem”, conclui Mauro.

LEIA MAIS: