Dátolo lembra recepção que teve de Ronaldinho no Atlético: ‘Nunca esqueço’

Argentino exaltou a humildade do brasileiro em seu primeiro encontro no Atlético

Eder Bahúte
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Bruno Cantini/CAM

Um dos grandes prazeres da carreira de Jesús Dátolo foi ter atuado com Ronaldinho Gaúcho. Em agosto de 2013, o meia era anunciado como reforço do Galo e até hoje guarda com carinho a forma como foi recepcionado pelo craque brasileiro.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

“Quando eu cheguei no Atlético, me lembro quando fui cumprimentá-lo e ele disse: ‘Vem cá, senta do meu lado. Fica tranquilo. Pega sua roupa e fica do meu lado’. Nunca vou esquecer isso, pois diz que o cara é humilde, um cara muito bom. Sensacional dentro e fora do campo”, lembrou em entrevista ao jornalista Breno Galante.

Além de R10, Dátolo também nutre uma admiração grande por Luan, com quem mantém contato mesmo depois que deixou o Galo, em 2016.

“A parceria com Luan também foi muito boa, pois juntos éramos mais fortes. Ele tinha aquele esforço, a pegada e juntou com minha qualidade. Eu sou muito agradecido a ele também pois me abriu as portas no Atlético, me ajudou bastante”, lembra.

Dátolo - Atlético

Relação com a torcida

“Eles são loucos, malucos (risos). Eu gosto disso, gosto desta pegada. Não sei como são as outras torcidas pois não joguei. Este é o verdadeiro amor, o torcedor do Atlético é muito sofrido, aquela coisa de ir para cima do adversário. Quando o time perde, eu vejo o sofrimento dos torcedores, mas eles continuam indo para o campo. Eu vivo também assim, é meu jeito de vida. O que fazem dentro do estádio é lindo e por isso quis jogar no Atlético”, diz.

“Toda vez que entrava em campo ficava emocionado em ver minha torcida, pois sentia que ali era minha família”.

Pelo Atlético, Dátolo foi campeão da Recopa e da Copa do Brasil, ambas em 2014, e do Campeonato Mineiro de 2015. No período em que ficou em Belo Horizonte foram 127 partidas, sendo 68 vitórias, 31 empates e 28 derrotas.

LEIA MAIS: