Henry fortalece luta contra o racismo com gesto histórico à beira do gramado

Ex-atacante atualmente é técnico do Montreal Impact, da MLS

Matheus Camargo
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Divulgação/MLS

O craque francês Thierry Henry, ex-atacante francês e atual técnico do Montreal Impact, da Major League Soccer (MLS), fortaleceu a luta mundial contra o racismo e iniciou seu primeiro jogo da temporada pelo clube ajoelhado durante 8 minutos e 46 segundos, mesmo tempo que o policial levou ajoelhado sobre o pescoço do homem negro George Floyd, morto por asfixia em 25 de maio em Minneapolis, nos Estados Unidos, e que ocasionou uma onde de protestos anti-racismo.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes
https://www.facebook.com/TorcedoresOficial

Todos os jogadores da MLS fortaleceram a campanha e 100 atletas negros fizeram protesto histórico antes do início da edição de 2020 do torneio, adiada anteriormente pela pandemia do novo coronavírus.

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

Jogadores e membros de comissões técnicas ajoelharam antes do apito inicial de todas as partidas, mas o ato de quebra de protocolo de Henry chamou a atenção a nível mundial.

Assista ao momento em que Henry, ajoelhado, se levanta aos 8 minutos e 46 segundos:

Elogiado por imprensa e torcedores pelo gesto, Henry não se pronunciou após a derrota do Montreal Impact por 1 a 0 para o New England Revolution.

O francês chegou à MLS no ano passado após passagem rápido no cargo de técnico do Monaco. Henry ainda foi auxiliar-técnico da Bélgica na disputa da Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

Leia mais:
Caio Ribeiro explica porque deixou a Inter de Milão e revela briga com treinador: “queria matar ele”

Comentarista da Fox diz que Palmeiras precisa substituir Dudu para não ser coadjuvante: “não pode guarda dinheiro debaixo do colchão”

De técnicos a especialista em pedras preciosas: Por onde andam os jogadores do Barcelona que conquistou a Champions de 2006?

Há quatro anos Portugal vencia a França sem CR7 na final da Euro e criava herói improvável