Presidente da FIFA avalia nova fórmula do Mundial: “Quero que os clubes fora da Europa tenham apelo global”

Intenção da FIFA é que a reformulação do Mundial seja um sucesso

Bruno Romão
23 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: bruno.romao.nascimento@gmail.com

Crédito: Divulgação/FIFA

Em entrevista ao jornal alemão “Aargauer Zeitung”, Gianni Infantino avaliou o novo modelo do Mundial de Clubes. Sendo assim, o presidente da FIFA não deu ênfase aos rumores envolvendo a suposta criação de uma “Premier League europeia”, que estaria sendo planejada por Liverpool, Manchester United e outras equipes da Europa.

Portanto, o foco da entidade máxima é o torneio que reúne os principais clubes do planeta. Em 2022, ainda sem uma data específica, a competição passará a ser disputada com 24 concorrentes ao título. Dessa forma, a expectativa fica por conta de encontros envolvendo grandes times de todos os continentes.

“Como presidente da Fifa, estou interessado no Mundial de Clubes, e não numa Superliga (da Europa). Para mim, não se trata do Bayern de Munique contra o Liverpool, mas do Bayern contra o Boca Juniors. O Liverpool tem 180 milhões de fãs em todo o mundo. O Flamengo tem 40 milhões de torcedores e 39 milhões deles estão no Brasil. O Liverpool tem cerca de 5 milhões de fãs na Inglaterra e 175 milhões de fãs em todo o mundo”, declarou.

Seu time maltrata seu coração? 

Deixa que o Clude cuida dele para você!

Quero que os clubes de fora da Europa tenham apelo global no futuro. Essa é a minha visão: ter 50 clubes e 50 seleções que podem se tornar campeões mundiais“, completou.

LEIA MAIS

Mundial de Clubes: FIFA faz consulta por nova data do torneio, mas esbarra em vários problemas