Diretor do Atlético, Rodrigo Caetano rebate declaração polêmica de Lisca

Técnico do América reclamou com a Federação Mineira de Futebol sobre o número de jogos que o Atlético fez em casa durante a fase classificatória do Estadual

Eder Bahúte
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Divulgacao/Atlético

O diretor de futebol do Atlético, Rodrigo Caetano, respondeu as acusações de Lisca, técnico do América, que havia insinuado favorecimento ao Galo, que na maior parte dos seus compromissos foram disputados em casa durante o Estadual.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Lisca bateu forte no tema após o empate por 0 a 0 no duelo de ida da final, nesse domingo, na Arena Independência. As críticas do comandante americano foram direcionadas à Federação Mineira de Futebol (FMF).

“Eu nunca vi disso em campeonato nenhum. Estadual eu já joguei matogrossense, gaúcho, paulista, do Oiapoque ao Chuí, eu nunca vi um time jogar só duas vezes fora de casa em 11 rodadas. Aí, agora, eles têm a vantagem no jogo final. E agora Federação Mineira? E todas essas inversões de mando que vocês fizeram?”, disse Lisca.

Rodrigo Caetano, porém, não viu fundamento nas reclamações de Lisca. “Esse tipo de colocação dele, na minha visão, é equivocada. O que o Galo mais tem feito neste momento é viajado”, afirmou.

Veja também: Fez proposta? Clube da Série A dá resposta definitiva sobre Diego Costa

“Se nós não temos nenhum receio e nenhum tipo de desculpa para viajar para Caracas e principalmente agora para Barranquilla, enfrentar o que enfrentamos e enfrentarmos o América numa final de campeonato, a gente viajaria para qualquer outra cidade aqui no Campeonato Mineiro. Não vejo isso como algo que vá gerar qualquer tipo de vantagem ou desvantagem. Não vejo nenhum tipo de vantagem. As justificativas, nesse sentido, do Lisca não têm o menor fundamento”, completou.

Na fase classificatória, o Atlético teve dois jogos que faria como visitante transferidos do interior para a capital: contra Patrocinense e Athletic. Na semifinal, o Tombense aceitou ceder seu mando de campo para BH em virtude do seu estádio, o Almeidão, não ter condições de receber o VAR.

LEIA MAIS: