Jogadora tem vídeos pornôs roubados por hacker e processa site adulto

Vídeos e fotos da jogadora Leigh Nicol fazendo sexo foram espalhados pela internet sem a sua autorização

Mário André Monteiro
Jornalista com passagens por Portal iG, Fox Sports e Osasco Audax. Atualmente editor do Alemanha FC (http://www.alemanhafc.com.br). No Twitter: @alemao_mario e no Instagram: @marioalemao

Crédito: Reprodução / Twitter

A meio-campista Leigh Nicol, que atua no Crystal Palace, da Inglaterra, está vivendo um momento conturbado em sua vida pessoal.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

A jogadora escocesa de 25 anos de idade está processando um site de conteúdo pornográfico por hospedar vídeos dela que foram divulgados sem o seu consentimento. Na verdade, vídeos privados que foram roubados por um hacker.

As imagens mostram Nicol tendo relações sexuais no ano de 2014. A atleta descobriu que as mídias – fotos e vídeos – haviam sido roubadas há dois anos, sendo compartilhadas nas redes sociais sem a sua autorização.

Segundo o jornal britânico The Sun, o site Pornhub teve que remover um vídeo de sexo explícito de Leigh Nicol depois de a atleta enviar inúmeros e-mails para a plataforma, solicitando a exclusão.

Antes, porém, o vídeo se transformou em um dos mais vistos e baixados do site.

Pausa na carreira

Diante desse problema, a jogadora precisou interromper sua carreira no futebol profissional por um ano. De acordo com o processo aberto em uma corte da Califórnia, nos Estados Unidos, Leigh Nicol ainda tem sofrido com danos emocionais significativos, como ansiedade, pensamentos suicidas e ataques de pânico.

“Fiquei muito enjoada ao saber. Foi uma mistura entre ter um ataque de pânico e ficar enojada. Era um ciclo vicioso. Foi absolutamente cruel. Há vergonha, há constrangimento, há nojo, doença, há dúvidas quanto a eu não ser boa o suficiente”, disse a atleta em entrevista ao canal britânico Sky Sports.

“As pessoas assistem a esses vídeos e não percebem os danos à vida das pessoas. Eles estão dando a esses sites muito dinheiro com suas opiniões, compartilhamentos e downloads, mas há vítimas aqui. Eu sinto que prevenir é melhor do que alguém ter que reagir a isso”, completou.

Nicol ainda acrescentou: “O futebol tem sido a chave para a minha recuperação. Sou muito grata por ter encontrado um clube como o Crystal Palace, que me permite ser eu mesma. Eles me apoiaram como humana”, comentou a meio-campista.

Mais declaração

Em um texto publicado em suas redes sociais, a atleta voltou a desabafar.

“Quando os vídeos apareceram no PornHub, isso destruiu minha vida, matou a minha personalidade, tirou a felicidade de mim. Isso me trouxe quase dois anos de vergonha, depressão, ansiedade, pensamentos terríveis, vergonha pública e cicatrizes. Ainda carrego essas cicatrizes”, disse.

Escocesa de nascimento, Leigh Nicol iniciou sua carreira no Celtic e passou a treinar no Arsenal em 2012. A jogadora também passou por Reading, London Bees e Millwall antes de ser contratada pelo Crystal Palace em 2020.

E MAIS

Carlos Bilardo, técnico da Argentina campeã em 1986, ainda não sabe que Maradona morreu

Piloto de 28 anos morre ao tentar bater recorde mundial nos EUA; veja o vídeo

Cristiano Ronaldo faz Coca-Cola perder R$ 20 bilhões após gesto em coletiva