Luxemburgo no Botafogo: Diretoria tenta reduzir valor do ‘pacote’ para fazer proposta ao treinador

Vanderlei Luxemburgo está sem clube desde que deixou o Vasco em fevereiro de 2020

Wilson Pimentel
Colaborador do Torcedores.com.

Foto: Rafael Ribeiro/ Vasco

Antes de mais nada, o Botafogo tem interesse na contratação de Vanderlei Luxemburgo. O clube oficializou nesta terça-feira a demissão de Marcelo Chamusca devido aos maus resultados na Série B do Campeonato Brasileiro. Com isso, a diretoria tenta formatar um projeto que sensibilize o veterano treinador assumir o comando da equipe.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

O Torcedores.com apurou que o presidente Durcesio Mello tenta compensar a falta de dinheiro com uma proposta a longo prazo. A ideia é contratar um treinador experiente que possa atuar como gestor na captação de reforços para a sequência da temporada.

De acordo com fontes próximas a Vanderlei Luxemburgo, o treinador não descartar a possibilidade de comandar a equipe na Série B no Campeonato Brasileiro, desde que o Botafogo ofereça um trabalho a longo prazo, com autonomia para reformular a comissão técnica e indicar jogadores.

Ainda segundo apurou a reportagem, o maior entrave em contratar o ex-comandante do Vasco está na questão financeira. Vanderlei Luxemburgo, só para exemplificar, quer um salário incompatível com a realidade financeira alvinegra.

O Torcedores.com ouviu de várias fontes ligadas ao departamento de futebol que o ‘pacote’ Vanderlei Luxemburgo irá custar R$ 600 mil por mês. O valor contempla a ida de um assistente técnico, um preparador físico e um analista de desempenho.

A princípio, o treinador não vai indicar um preparador de goleiros para integrar sua comissão técnica. Afinal, Flávio Tênius é considerado um dos melhores profissionais na função no futebol brasileiro. E Luxemburgo tem grande admiração pelo trabalho dele.

Dinheiro curto impede investimento em Luxemburgo

Internamente, o nome de Vanderlei Luxemburgo é bem recebido por jogadores e funcionários do Botafogo. Contudo, a realidade do clube é de extrema dificuldade financeira. Por isso, o objetivo do diretor executivo Eduardo Freeland é cortar gastos no departamento de futebol.

Para que o interesse saia do campo da sondagem e se torne uma negociação, a diretoria precisa ser mais audaciosa e esticar o orçamento para formar uma super comissão técnica. Luxemburgo quer o Botafogo, mas os dirigentes precisam se esforçar para seduzir o treinador.

LEIA MAIS: 

Ex-zagueiro do Palmeiras é oferecido, mas não empolga diretoria do Atlético-MG 

Chapecoense faz sondagem e tenta empréstimo de lateral do Flamengo; jogador resiste e quer chance com Renato 

Botafogo não demitirá Marcelo Chamusca sem definir substituto; perfil gera divergências entre dirigentes 

Pressionado, Marcelo Chamusca pode ser demitido do Botafogo; diretoria não tem plano B